catedral arrow-options
Reprodução/Twitter
Campinas decreta luto de três dias e prepara velório das vítimas

O município de Campinas amanheceu sob um clima de consternação e perplexidade, nesta quarta-feira (12), um dia após um ataque a tiros que deixou cinco pessoas mortas, dentro da Catedral Metropolitana da cidade.

Apesar da busca por respostas a respeito da tragédia, a catedral será reaberta na tarde de hoje para uma missa em homenagem às vítimas do atentado.

Ainda ontem, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), decretou luto oficial de três dias na cidade. Pelo Twitter, ele se disse "estarrecido com o brutal crime", causado por um atirador que matou quatro pessoas, deixou outras quatro feridas e cometeu suicídio. Entre os que estão em estado grave após o ataque estaria um homem com mais de 80 anos de idade.

A expectativa é de que os velórios das vítimas ocorram a partir desta quarta-feira (12). Os nomes das vítimas mortas foram identificados pelas autoridades. São elas: Sidnei Vitor Monteiro, José Eudes Gonzaga, Cristofer Gonçalves dos Santos e Elpídio Alves Coutinho. O atirador, Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos, tirou a própria vida depois balear os fiéis.

Leia também:  Vídeo mostra ação de atirador dentro da Catedral de Campinas

Nesta manhã, a Catedral Metropolitana amanheceu cercada por um cordão de isolamento. Porém, os funcionários da prefeitura, que trabalharam na limpeza do local, garantem que a catedral estará aberta hoje pela tarde, a fim de receber a missa das 12h15, que será celebrada em homenagem às vítimas de ontem.

A catedral fica localizada em um dos mais movimentados pontos da cidade , ao lado do calçadão e da principal rua de comércio.

Das quatro pessoas feridas , que sobreviveram ao ataque, duas receberam alta na noite de ontem e outras duas permaneciam internadas no Hospital Municipal Dr. Mário Gatti.

Leia também:  Delegado diz que câmeras mostram que atirador planejou tiroteio em Campinas (SP)

As vítimas internadas em Campinas são Jandira Prado Monteiro, 65 anos, atingida no tórax e na mão, que está em observação após ter passado por uma cirurgia. Ela é mãe de Sidnei Monteiro, que morreu na igreja.

Heleno Severo Alves, de 84 anos, foi atingido no tórax e no abdômen. Ele passou por um procedimento cirúrgico e está na UTI, em estado grave.

* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

      Mostrar mais