Jonas Donizette resolveu abrir restaurantes e igrejas
Carlos Bassan / Pref. de Campinas
Jonas Donizette resolveu abrir restaurantes e igrejas


A reabertura econômica em Campinas , programada para começar no dia 1º de junho, incluirá permissão de funcionamento parcial de igrejas e restaurantes , decisão que vai além do plano anunciado pelo governador João Doria (PSDB). A adaptação foi confirmada pelo prefeito Jonas Donizette (PSB), em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira (28). Os restaurantes poderão funcionar apenas no horário do almoço.

Campinas foi enquadrada na fase 2, zona laranja do programa de reabertura econômica do Estado De São Paulo para recuperar os danos causados pela pandemia de Covid-19 . Isso quer dizer que foi liberado o funcionamento de comércios, shoppings, escritórios, imobiliárias e concessoniárias.

A decisão de reabrir ou não cabia aos prefeitos. No pronunciamento desta quinta, Jonas comunicou que acatou a liberação e deu detalhes de como a reabertura gradual irá funcionar. O comércio de rua poderá funcionar com 30% da capacidade, das 10h às 16 horas, com medidas de proteção e distanciamento. O mesmo vale para os shoppings, mas com horário das 14h às 20h.

Restaurantes

A reabertura dos espaços físicos de restaurantes, segundo o plano divulgado por João Doria, seria recomendada apenas para cidades classificadas na fase 3, zona amarela, uma acima da qual Campinas foi classificada. Ao se justificar, ele disse que tem visto muitas pessoas comendo marmitas na rua e que seria melhor que elas pudessem comer em um local higienizado e com banheiro. Por isso, os restaurantes terão permissão para funcionar no horário do almoço.

Leia também: Covid-19: Com 1.353 casos, Campinas registra mais duas mortes e chega a 67

"Nós estamos dando autorização para os restaurantes abrirem com 30% da capacidade no horário de almoço. Na parte da noite, continuam em horário de delivery. Uma abertura restrita parcial, com regras de higiene. Tenho percebido uma realidade, muita gente comendo na rua, na calçada. Se ela pode comer com mais conforto, onde pode lavar as mãos, porque não fazer isso?"", afirmou Jonas Donizette.

"Isso não está na fase laranja. Acontece que minha discussão com o Estado foi de autonomia, e isso está referendando por meio de um parecer na área da saúde. É uma divergência que tive com o governador. Não quero polemizar, mas quero evocar a racionalidade das coisa", completou.

Igrejas

Já funcionamento de igrejas não é um assunto tratado no plano, em nenhuma das cinco fases. Até agora, as igrejas estavam proíbidas de funcionar em Campinas, mas Jonas Donizette se baseou no decreto federal que classifica as instituições religiosas como serviço essencial para tomar a decisão.

"Infelizmente, a gente não está tendo uma obediência civil, mas não vejo uma guarda municipal entrando em um ambiente religiosos para fiscalizar. Existe o decreto presidencial que fala em atividade essencial, e tem uma decisão do Tribunal deJustiça falando também sobre essa questão das igrejas", explicou o prefeito.

    Veja Também

      Mostrar mais