Campinas voltou a registrar ocupação de UTI-Covid abaixo de 80%.
Divulgação/Unicamp
Campinas voltou a registrar ocupação de UTI-Covid abaixo de 80%.


Prestes a entrar na fase amarela do Plano São Paulo, anunciada nesta sexta-feira (7) , Campinas voltou a ter queda na taxa de ocupação de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) nas redes pública e privada para casos de covid-19. Hoje, a taxa chegou a 79,75% após ter subido ontem (80,3%) e passado por dois dias de estabilidade na semana.

Apesar do número ser alto, não é o índice municipal que conta para o avanço de fase, mas sim a ocupação de leitos de alta complexidade do DRS 7 (Departamento Regional de Saúde), além de critérios como casos e mortes confirmados por dia. Nesta sexta, o índice regional é de 69,4% - o dado foi atualizado ontem na plataforma do Seade (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados).

Leia também: Novo decreto autoriza presença de idosos em templos religiosos

Em Campinas, a situação é a seguinte, segundo a Prefeitura: a cidade conta 405 leitos de UTI exclusivos para pacientes com covid-19, sendo que 323 estão ocupados. Há 82 leitos livres somando as redes pública e particular.

A maior ocupação por gestão é a do SUS Estadual - que administra o HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp e o AME (Ambulatório Médico de Especialidades). A taxa é de 84,88%. De 86 leitos, 73 estão ocupados.

Em segundo lugar está o SUS Municipal, com 82,24% de ocupação na UTI exclusiva para covid-19. São 152 leitos, dos quais 125 estão ocupados. Ainda hoje, 3 leitos do Hospital Mário Gatti continuam bloqueados para regulação por conta da necessidade de isolamento de pacientes.

Por fim, na rede particular, a taxa é de 74,85%. São 167 leitos oferecidos, dos quais 125 estão ocupados. Ainda hoje, Campinas chegou a 797 mortes pelo novo coronavírus e também um total de total de 20.602 pessoas infectadas.

    Veja Também

      Mostrar mais