ACidade ON

Guarda Municipal multou 36 pessoas sem máscara.
Divulgação/Prefeitura de Campinas
Guarda Municipal multou 36 pessoas sem máscara.


No primeiro dia da vigência da multa de R$ 100 para quem estiver sem máscara de proteção contra o novo coronavírus em Campinas, a GM (Guarda Municipal) autuou 36 pessoas em duas fiscalizações, na Lagoa do Taquaral e no bairro Satélite Iris (à tarde). No segundo local, foi também vistoriado o comércio em conjunto com a Vigilância Sanitária. 

A multa, que pode ser revertida em cesta básica, começou a valer hoje e foi regulamentada por decreto municipal. Ela vale para quem não estiver utilizando máscara nas ruas, em locais públicos e no interior dos estabelecimentos autorizados a funcionar nesta fase da quarentena em Campinas. Ela também vale para visitantes que descumprirem o decreto na cidade.

Leia também: Covid-19: Campinas confirma mais 227 contaminados e 12 mortes

A decisão foi anunciada pelo prefeito Jonas Donizette na última segunda-feira (17) e tem valor diferente da multa estadual, de R$ 500 , e que começou a valer no dia 1º de julho.

Além das vistorias nos dois bairros, a corporação informou que a fiscalização foi realizada em outras áreas da cidade, conforme deslocamento das equipes de patrulhamento de rotina.

As pessoas sem máscara foram abordadas pelos agentes municipais, que explicavam sobre o decreto, pediam o documento do infrator e já emitiam a multa no ato, em duas vias. O cidadão fica com uma cópia do documento e assina outra.

"Mesmo se a pessoa se recusar a assinar, a multa é válida porque a GM tem o poder de polícia administrativa para autuar neste caso", explicou o comandante da corporação, Márcio Frizarin. "No entanto, não houve questionamentos e as pessoas acabaram concordando que estavam erradas", relatou o comandante. 

NO TAQUARAL 

No Taquaral, segundo constatou Frizarin, 99% das pessoas estavam de máscara. Pessoas comendo ou fumando na rua eram orientadas a fazê-lo com distanciamento social e não recebiam multa. No entanto, no transporte público, táxis, transporte por aplicativo e nos cultos religiosos a máscara é obrigatória e quem não estiver usando também está sujeito à penalidade. 

CINCO DIAS PARA PAGAR 

A partir do momento que a pessoa recebe o auto de infração, tem cinco dias para pagar a multa de R$ 100 ou doar o valor equivalente em produtos da cesta básica e/ou itens de higiene. A multa deverá ser paga em conta no Banco do Brasil, com dados informados no momento da multa, destinada ao Fundo Municipal de Segurança Alimentar.

Se optar por doar o valor em cestas básicas ou produtos que compõem a cesta, a própria pessoa deve adquirir, no mesmo valor da multa, e levar diretamente até o Banco Municipal de Alimentos, que fica na Ceasa. Na entrega, a nota da compra deve ser apresentada para comprovar o valor de R$ 100.

O dinheiro arrecadado será destinado para o Fundo de Segurança Alimentar e as cestas básicas serão para o Banco Municipal de Alimento. Quem não pagar a multa ou doar o valor em produtos da cesta terá o nome incluído na dívida ativa da Prefeitura. 

MULTA MORAL 

Antes da multa em dinheiro, a cidade adotou a "multa moral", trabalho, realizado por bolsistas do programa Juventude Conectada, orientava sobre a importância de uso e distribuíam as máscaras gratuitamente.

Desde julho, foram distribuíram 9.500 multas de efeito moral. Hoje, Campinas tem 913 óbitos pela covid-19 e um total de 24.770 casos.

    Veja Também

      Mostrar mais