Campinas tem cerca de 45 mil contaminados pelo novo coronavírus, segundo levantamento.
Carlos Bassan / Pref. de Campinas
Campinas tem cerca de 45 mil contaminados pelo novo coronavírus, segundo levantamento.


Campinas tem cerca de 20 mil contaminados pelo novo coronavírus a mais do que o número de notificações realizadas até momento, de acordo com os resultados do inquérito sorológico realizado pela Secretaria de Saúde. O levantamento ocorreu entre os dias 3 e 15 de agosto, e os números foram computados no dia 19, quando a metrópole tinha 24.770 casos confirmados.

Com a análise dos dados coletados durante o processo de inquérito, os pesquisadores chegaram a estimativa de um número de infectados 1.8 vezes superior aos 24.770 registrados no dia 19. Isso quer dizer que cerca de 45 mil pessoas já tiveram contato com o vírus em Campinas, o que corresponde a 3,68% da população.

Leia também: Covid-19: Campinas confirma mais 285 casos e 14 mortes

Menor subnotificação

A Prefeitura já havia realizado um inquérito em junho. Na ocasião, a subnotificação registrada foi bem maior do que a atual, uma vez que o balanço indicou 3.8 vezes mais pessoas infectadas além dos casos notificados. “Campinas está tendo uma boa avaliação de detectar quem está com a doença. Além disso, poucas cidades tiveram sequer um inquérito, nós já estamos no segundo”, avaliou o secretário da Saúde, Carmino de Souza.

O modelo do novo inquérito foi o mesmo que o do antigo, com a utilização de testes rápidos, que mostram se a pessoa já criou anticorpos contra o novo coronavírus. Desta vez, foram coletadas 1.876 amostras e sessenta e nove foram positivas.

Por região

Segundo o inquérito sorológico, a região com maior contaminação por habitante é a Norte, com estimativa de 11.127 pessoas contaminadas e prevalência de 4,83% da população.

Em seguida, estão as regiões Noroeste (8.528 contaminados e prevalência de 4,47%), Sudoeste (7.807 contaminados e prevalência de 3,60%), Sul (12.295 contaminados e prevalência de 3,57%) e Leste (5.961 contaminados e prevalência de 2,3%).

    Veja Também

      Mostrar mais