ACidade ON

Campinas teve 'ligeiro aumento' na curva de transmissão da Covid-19.
Divulgação/Prefeitura de Campinas
Campinas teve 'ligeiro aumento' na curva de transmissão da Covid-19.

O secretário de Saúde de Campinas, Carmino de Souza, emitiu na manhã desta sexta-feira (18) um alerta para uma alta de transmissão na curva de Covid-19 na cidade. Segundo Cármino, a contaminação pelo vírus voltou a crescer, com registro de aumento nas internações e no atendimento de pacientes nos hospitais, situação que foi observado nas semanas logo após o feriado de 7 de setembro.  

O anúncio do secretário foi feito durante uma transmissão nas redes sociais, onde a Prefeitura atualizou os números da covid-19 na cidade, e a permanência na Fase Amarela do Plano São Paulo de regulamentação da quarentena. Entre os números de hoje, a cidade confirmou mais 12 mortes, e 213 novos casos.

Leia também: Campinas registra mais 13 vítimas e soma 1.175 mortes

Segundo Carmino, as últimas semanas foram de "colheita" para os frutos do descuido do feriado, e deixam o alerta para a transmissão no limite. Segundo ele, Campinas ascendeu o sinal amarelo em relação a contaminação.  

"No último feriado vimos aglomerações enormes, que começou já no dia 5, e nessa semana, tivemos três alertas, um do sistema de atenção primária, que mostrou que a curva de casos que vinha caindo se estabilizou. Da regulação, dizendo que o número de internações aumentou, tendo que aumentar os leitos de retaguarda e passando dias com certa pressão, e da Rede Mario Gatti, que recebeu mais pacientes com sintomas gripais na porta do hospital", afirmou.  

De acordo com o secretário, foi observado ainda que a maioria dos pacientes das últimas semanas atendidos nos hospitais e internados eram jovens. Segundo Cármino, esses números chegaram a mostrar uma subida da curva de transmissão do vírus, que estava em queda na cidade.  

"Qual é o alerta? É que vamos tomar cuidado porque estamos no limite, muito importante que todos entendam a importância em manter os cuidados [...] No gráfico da covid, vemos que a transmissão ficou um longo período acima de um. Caiu, e agora estamos em 1, de novo. É ligeiramente ascendente mas mostra que parou de cair, estamos em estabilidade e esperávamos uma queda maior nesse período", declarou.  

A taxa de transmissão indica a potência da disseminação do virus entre as pessoas. Em 1, significa que uma pessoa transmite para outra pessoa. Em Campinas, no final de maio, a cidade atingiu o alto índice 1,8 da taxa - que representa que uma pessoa contaminada transmitia a doença para 1,8 - ou multiplicando os números, que 10 pessoas contaminariam 18, chegando próximo a dobrar o número de infectados. 

"Esse aumento de casos, ver gente nos leitos, nas UTI, isso nos constrangem. Não chega a ser estatística, mas é uma percepção trazida por vários sistemas falando que os casos aumentaram, e somos obrigados a passar essa preocupação", ressaltou. 

NÚMEROS

Nos últimos dias têm se observado uma nova estabilização alta em números de mortes por covid-19, comparadas com as últimas semanas. Na terça-feira (20) a cidade confirmou mais 20 mortes. Já ontem (17) a cidade registrou mais 13 mortes, e hoje 12.  

LEITOS PARA OUTRAS DOENÇAS

Durante a transmissão, o prefeito Jonas Donizette (PSB) anunciou ainda o aumento de mais leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na parte de atendimento de doenças não covid-19. Segundo Jonas, a Saúde aumentou para 80 leitos, chegando perto ao número normal antes da pandemia.  

"Conseguimos sem causar redução na disponibilidade melhorar a situação. Durante a pandemia operamos com 56 leitos não covid, agora pulamos para 80. A ideia é que em outubro conseguimos voltar para os 90 que eram antes", declarou o secretário.  

Segundo a Saúde, a média de ocupação de leitos covid-19 estão em cerca de 65%. Já os leitos de doenças comuns estão em 70%.

    Veja Também

      Mostrar mais