ACidade ON

Obras do BRT em Campinas são prorrogadas em mais seis meses
Reprodução: ACidade ON
Obras do BRT em Campinas são prorrogadas em mais seis meses


A Prefeitura de Campinas autorizou nesta semana uma nova prorrogação do prazo de obras do BRT (Bus Rapid Transit, Ônibus de Transporte Rápido). A obra, que estava prevista para ser concluída no primeiro semestre deste ano, agora tem prazo para conclusão até dezembro, mas ainda sem data para a circulação com veículos especiais, já que a licitação da contratação está suspensa pela Justiça .

A prorrogação das obras foi publicada pela Secretaria de Transportes nesta segunda-feira (26) no Diário Oficial. Com o texto, a Prefeitura prorroga as obras por mais seis meses. A obra já havia sido "esticada" no começo deste ano, com a prorrogação do contrato das obras em nove meses.

Você viu?


Até o momento, segundo a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) 86% das obras estão concluídas, sendo que 16 pontes e viadutos ainda estão em execução, e cinco terminais aguardam ativação.

De acordo com a empresa, apesar das obras não terem sido interrompidas durante a pandemia, "vários aspectos impactaram no cronograma".

A empresa cita entre as justificativas os procedimentos para adaptação dos canteiros à nova realidade (medidas de higienização de materiais, distanciamento, uso da máscara de proteção, entre outros); redução no quadro de funcionários, por conta de afastamentos ou grupo de risco, e, principalmente, o atraso dos fornecedores nas entregas de matéria-prima para as obras.

Além disso, segundo a Emdec, as principais vias dos corredores são acesso ao hospitais do município, e por isso houve "cuidado redobrado nas intervenções e serviços, para não prejudicar os acessos às unidade de saúde".

Com a prorrogação, a empresa afirma que o foco é a conclusão da obra até o final de 2020, já a operação efetiva ainda depende da finalização da licitação do transporte público coletivo, que ainda aguarda a decisão judicial para reabertura.

Em entrevista ao ACidade ON no final do ano passado, o secretário Transportes, Carlos José Barreiro afirmou que o BRT funcionará com ônibus convencionais caso licitação não saia a tempo .

A PRORROGAÇÃO

Entre os argumentos da prorrogação, o texto cita que a ampliação do prazo é necessária para adequar o tempo necessário para finalização da construção dos respectivos trechos.

As obras são de responsabilidade das empresas Compec Galasso Engenharia Construções Ltda e o Consórcio Corredor BRT.

Ao todo, os três corredores BRT do município - Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral têm custo total de R$ 451,5 milhões.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários