Hospital de Campanha foi desativado em agosto.
Fernanda Sunega/Prefeitura de Campinas
Hospital de Campanha foi desativado em agosto.


Campinas vai ter um plano de contingência para combate de uma possível segunda onda da pandemia do novo coronavírus, causador da Covid-19 . O prefeito Jonas Donizette (PSB) assinou, na quinta-feira (29), uma portaria que determina a elaboração de um protocolo a ser seguido caso a contaminação pelo vírus volte a se intensificar, como tem acontecido na Europa.

Jonas quer entregar o texto ao próximo prefeito de Campinas , que será escolhido nas eleições municipais de novembro. “Vamos entregar esse plano para a população. Eu vou dar publicidade ao documento. Também pretendo entregar para o futuro prefeito” comentou.


O plano será elaborado durante novembro, sob responsabilidade do Comitê Municipal de Enfrentamento da Pandemia de Infecção Humana pelo Novo Coronavírus. O grupo é formado por 15 órgãos e secretarias da Prefeitura, incluindo a Secretaria de Saúde e a Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar.

“Não há nada que sugira a chegada de uma segunda onda, é preciso deixar claro, mas aprendemos que a pandemia evolui de uma maneira muito rápida”, comentou o secretario de Saúde, Carmino de Souza.

“Essa preparação que nós temos que fazer para uma eventual segunda onda está em um cenário de incerteza de como o corona vírus vai se comportar ao longo de um tempo umaior, um horizonte maior de tempo. A prudência de fazer isso é deixar algo organizado.

Quarentena

Segundo o prefeito, o texto não vai abordar questões como o fechamento de estabelecimentos. O foco será na logística para atendimento de pessoas que forem contaminadas.

“Esse plano não fala nada de fechar e abrir nada, não tem anda disso. É um plano de assistência às pessoas que ficarem doentes. Como vai comprar, o que vai comprar, quais equipamentos podem ser usados, vai se resumir na questão da assistência”, explicou Jonas.

Segundo atualização divulgada ontem, a Covid-19 já fez 1.317 vítimas fatais em Campinas, com 37.891 pessoas contaminadas, das quais 36.090 estão recuperados.

    Veja Também

      Mostrar mais