ACidade ON

SP retoma vistas ao sistema penitenciário neste final de semana após 8 meses
Reprodução: ACidade ON
SP retoma vistas ao sistema penitenciário neste final de semana após 8 meses

O governo de São Paulo retoma neste final de semana as visitas presenciais ao sistema prisional, o maior do país, depois de ficarem suspensas por cerca de oito meses. A retomada ainda não é total porque ainda há decisões judiciais impedem esse retorno em algumas regiões. As visitas estavam proibidas desde 20 de março em razão da pandemia da Covid-19. 

Das 39 unidades prisionais subordinadas à Coordenadoria das Unidades Prisionais da Região Central (CRC), a retomada acontecerá, por enquanto, em 24. Estas estão localizados nas cidades de: Mococa, Campinas, Hortolândia, Sumaré, Americana, Limeira, Piracicaba, Rio Claro, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Atibaia, Jundiaí, Bragança Paulista e Itirapina. 

Pela regra, neste fim de semana haverá visitas somente nos pavilhões pares e com limitação a uma pessoa por preso e somente pelo período de duas horas. Poderão entrar visitantes de 18 a 59 anos, sendo proibido crianças, idosos, gestantes e pessoas com sintomas gripais. As visitas íntimas também seguem suspensas e não será permitido contato físico a fim de evitar a disseminação da covid-19.  Ou seja, qualquer contato físico, como um abraço ou aperto de mão, estão proibidos. Os visitantes também terão de usar máscaras e, na entrada das unidades, terão medidas a temperatura e saturação de oxigênio.  

Também não será permitida a entrada de bolsas, mochilas, sacolas, comida, itens de higiene e roupas. Os chamados "jumbos" precisarão ser enviados pelos Correios.

Segundo o Estado, os protocolos com o novo regramento para a visitação foram submetidos à análise e aprovados pelo Centro de Contingência do Coronavírus. As medidas incluem uma série de restrições necessárias à contenção das taxas de contaminação da Covid-19 dentro do sistema prisional. Das 177 unidades prisionais do estado de São Paulo, 17 não retomaram as visitas, pois ainda existem decisões judiciais vigentes que impedem o retorno gradual e controlado, conforme protocolo. Contudo, a listagem está em constante atualização no site da Secretaria.

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários