ACidade ON

Racismo: motoboy denuncia Popeyes por negar venda de lanche
Reprodução: ACidade ON
Racismo: motoboy denuncia Popeyes por negar venda de lanche

O motoboy Jhonatas Luis Machado Oliveira , de 36 anos, denunciou a lanchonete Popeyes do Campinas Shopping por se negar a vender um lanche de R$ 6,90 a ele enquanto coletava um pedido. O caso ocorreu na noite de quinta-feira (19), por volta de 18h30, e ele filmou a cena (veja vídeo abaixo).

Com raiva e se sentindo discriminado por ser motoboy e negro, Jhonatas disse que resolveu gravar a situação para denunciar o ocorrido. Ele afirmou que sentiu fome durante a espera do pedido e resolveu comprar um lanche no mesmo local.

"Eu sentei na praça de alimentação para esperar e passou 10 minutos. Senti fome e pensei em aproveitar para comer. Pedi uma vez e a moça fingiu que não me escutou", contou ele.


Você viu?

ORDEM DA GERÊNCIA

O motoboy disse que insistiu e que a atendente teria dito que não poderia vender o lanche pois ele estava trabalhando. Segundo ela, era uma ordem da gerência e que se ela efetuasse a venda poderia "ser prejudicada", uma vez que há câmeras de segurança na loja.

"Isso não existe, estou trabalhando mas ia pagar o lanche. Aí comecei a filmar. Eu senti ódio, fiquei com vontade de quebrar tudo na hora. Senti preconceito, discriminação, e teve racismo também, com certeza. Eu sou um cliente, estava comprando do estabelecimento. Não tem como ficar bem depois de um negócio desses", disse ele.  



Depois da filmagem, a atendente teria cancelado o pedido para chamar outro motoboy . No entanto, o pedido caiu novamente para ele e o trabalhador conseguiu fazer a coleta. "Sou motoboy há quase um ano e isso nunca aconteceu antes. Tem lugar que dá o lanche para a gente e não cobra nada", afirmou.

Sobre o racismo sofrido, Jhonatas disse que acha que isso aconteceu por ele ser negro. No Dia da Consciência Negra, o motoboy falou que denunciou porque, apesar de ser algo "do nosso Brasil", é crime. Ele afirmou ainda que vai registrar boletim de ocorrência na 2ª Delegacia Seccional de Campinas, no Jardim Londres.

OUTRO LADO

Em nota, a BK do Brasil, responsável pela operação da marca Popeyes , disse que "está apurando o ocorrido na loja do Campinas Shopping para as devidas providências". "A companhia ressalta, ainda, que já está em contato com o profissional. A BK Brasil enfatiza que Popeyes é uma marca para todos e, portanto, todos serão bem recebidos", informa.

Já o Campinas Shopping disse que "está contribuindo para que a sejam esclarecidos os fatos ocorridos ontem em um restaurante dentro do empreendimento". Além disso, o centro de compras afirmou que "repudia atos discriminatórios de qualquer natureza".

PARA LEMBRAR

Em agosto, outro caso envolvendo racismo contra um motoboy teve repercussão nacional.Um entregador sofreu ofensas racistas do morador de um condomínio em Valinhos.Na época, a família do agressor disse que ele era esquizofrênico.

Na última quinta (19), outro caso que chocou o país na véspera do Dia da Consciência Negra foi a morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, em uma unidade do Carrefour em Porto Alegre (RS). Freitas foi espancado por três homens, sendo dois seguranças do mercado e um policial militar que supostamente faria bico como vigilante na empresa. Os três foram presos e o caso é investigado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários