Hopi Hari vai reativar brinquedo fechado após morte de adolescente há 8 anos
Reprodução: ACidade ON
Hopi Hari vai reativar brinquedo fechado após morte de adolescente há 8 anos

O parque de diversões Hopi Hari, em Vinhedo, anunciou nesta sexta-feira (27) que vai reabrir o brinquedo "La Tour Eiffel", fechado desde a morte da adolescente Gabriela Nichimura, em fevereiro de 2012. No início deste ano o empreendimento já havia adiantando a intenção de reabrir o brinquedo que estava desativado desde a fatalidade.

A atração que é uma torre de queda livre será reaberta no próximo ano e, segundo o empreendimento, ganhou um novo nome: "Le Voyage".

O brinquedo era um dos mais buscadas pelos frequentadores do parque até que em fevereiro de 2012 a adolescente de 14 anos, que morava no Japão e visitava o Brasil em férias com os pais e a irmã, morreu no equipamento. Investigações apontaram que a adolescente utilizou uma cadeira que estava quebrada. A jovem chegou a ser socorrida mas morreu ao dar entrada em um hospital de Jundiaí.  

LEIA TAMBÉM 
Justiça aprova o plano de recuperação do Hopi Hari


Em nota o Hopi Hari explicou que a decisão da reabertura do brinquedo se baseou em diferentes critérios, desde um estudo realizado com visitantes do parque que quiseram sua reabertura até viabilidades técnica e econômica. A empresa afirma que conseguiu toda a aprovação junto a todos os órgãos legais competentes.

De origem suíça, o equipamento desenvolvido pela Intamin maior fabricante de atrações para parques temáticos e de diversões do mundo -, será remodelado.

"Podemos dizer até que se trata de uma nova atração, por isso, a batizaremos com um novo nome: Le Voyage", afirmou o presidente do Hopi Hari, Alexandre Rodrigues.

A reativação do brinquedo integra o projeto de recuperação da identidade de toda a região de Kaminda Mundi, a primeira área temática do parque. A finalização do projeto e reforma da atração, bem como sua reestreia devem ocorrer até final do segundo semestre do ano que vem, explicou o parque.

A TORRE

A atração antiga era definida pelo parque como uma réplica da Torre Eiffel, um elevador de 69,5 metros de altura, com assentos que sobem a 5 metros por segundo. Os visitantes ficam parados por dois segundos na altura de um prédio de 23 andares e, em seguida, um tranco no assento e o visitante despenca em queda livre, chegando a 94 km/h.

CONDENAÇÃO

Em 2017 a Justiça chegou a condenar três funcionários do parque pela morte da estudante. De acordo com o TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo), os réus receberam a sentença de 2 anos e 8 meses de prisão no processo por homicídio culposo, mas o juiz reverteu a pena para prestação de serviços à uma comunidade e pagamento de um salário mínimo para uma entidade social. Os outros quatro réus são ex-diretores e o ex-presidente do parque.

REABERTURA

O Hopi Hari reabriu suas portas no dia 26 de setembro. E, desde a data, segue respeitando o protocolo anticovid-19 que, até o momento autoriza acesso a 60% da capacidade de público do local e é possível visitá-lo de sexta a domingo, das 10h30 às 20h30.

Vale lembrar que, para garantir a capacidade de operação em 60%, a equipe do parque está monitorando o acesso do público e tomará ações necessárias para manter o fluxo de pessoas dentro do permitido pelos órgãos públicos competentes, de acordo com o protocolo anticovid (leia mais aqui) .

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários