ACidade ON

Oliveira diz que derrota tem sabor amargo na Ponte Preta
Reprodução: ACidade ON
Oliveira diz que derrota tem sabor amargo na Ponte Preta

Você viu?

Após o revés na noite de terça (8) contra o Botafogo, por 2 a 1, a Ponte Preta treinou com empenho redobrado hoje e amanhã, de olho em uma reabilitação imediata na noite de terça, contra o Avaí, no Majestoso.

O técnico Marcelo Oliveira fala sobre a derrota ocorrida em Ribeirão Preto, que deve ser tomada como alerta e lição para que a Macaca que está na oitava colocação, a quatro pontos do G4 - retome as vitórias enquanto ainda há tempo para conquistar o acesso.

"Nossa lamentação maior é porque fomos a Ribeirão atrás da vitória, com um ambiente bom de trabalho, vestiário, todos empolgados. Iniciamos o jogo mal, depois reagimos e tivemos desatenção na bola parada. Embora o adversário esteja lá embaixo, assim como o Oeste, estes times na zina de rebaixamento estão lutando, correm muito e, se contarem com a desatenção do adversário, fazem gols. Mais uma vez tivemos desatenção, reagimos bem e criamos oportunidades, e em lance isolado levamos o segundo gol. A derrota teve sabor amargo pra todo mundo", diz.

O treinador ressalta que a equipe trabalha para evitar as desatenções. "A gente treina muito, até porque, se não me engano, nos últimos jogos tomamos seis gols de bola parada. Somos todos responsáveis, especialmente eu, como técnico, e estamos lamentando não ter pontuado. O trabalho no dia a dia é bom, existe entrega total, trabalho intenso, mas ainda não acertamos o time e, em um jogo como o de ontem, em que tivemos bom volume e oportunidades, tomar dois gols de bola parada faz muita diferença", lamenta.

Questionado a respeito do porque entrou com Apodi na frente, o treinador explica que a decisão foi tomada em virtude da ausência de Bruno Rodrigues, que apresentou sintomas gripais na manhã de terça e, seguindo a protocolos de Covid19, teve de ser afastado do jogo. "O Moisés não está ainda totalmente recuperado, depois que pegou o coronavírus, para atuar nos dois tempos, por isso usei Apodi na frente. Esse não foi o problema, embora o time tenha melhorado a posse com a entrada do Oyama e o Apodi por trás. Se eu tivesse um extremo em condição normal, como Bruno ou Moisés, certamente colocaria o Apodi atrás desde o início."

Em relação à suspensão do zagueiro Ruan Renato para o próximo jogo, em virtude do terceiro amarelo, Oliveira diz que o substituto do atleta ainda não está definido. "Hoje seria o Alisson, que está treinando normal e tem estado no banco. Luizão e Rayan estão em plena recuperação, mas precisaremos ver com a Comissão se haverá tempo para treinarem e serem utilizados", conclui.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários