ACidade ON

Hospital PUC-Campinas participa de teste da vacina da Johnson & Johnson.
Reprodução
Hospital PUC-Campinas participa de teste da vacina da Johnson & Johnson.

O Hospital PUC-Campinas encerrou na noite da quarta-feira (8) o cadastramento de voluntário para a pesquisa da vacina contra a Covid-19 da Johnson e Johnson no Brasil, e, na manhã desta sexta-feira (11), o Centro de Pesquisa Clínica divulgou que a testagem teve saldo de "sintomas leves". 

"Uma preocupação nossa da vacina, em termos da covid-19, era a eficácia e segurança. Até agora os sintomas que nós verificamos nos pacientes que participaram foram sintomas leves. Em cerca de 2 a 4% desses pacientes foi registrada dor de cabeça, febre e dor no corpo", comentou o diretor do Centro de Pesquisa Clínica, Danilo Villagelin. 


Segundo o hospital, foram mais de 6 mil inscritos e 417 vacinados, que já começaram a passar por exame de sangue para verificar contagem de anticorpos. Em um primeiro momento, o cadastro esteve aberto apenas para pessoas com idades entre 18 e 59 anos e, posteriormente, para aqueles acima de 60 anos. 

Você viu?

Desse total de testados, 35% têm mais de 60 anos, 20% são profissionais de saúde e 80% são da comunidade em geral. Além de Campinas, a testagem também envolveu voluntários das cidades de Sumaré, Hortolândia e Jaguariúna. 

"A vacina da Johnson tem alguns diferenciais. O primeiro diferencial é ser uma dose única, depois é que o estudo clínico envolveu mais de 40 mil pessoas no mundo, e cerca de 1/3 destes testes foram realizados em pessoas acima de 60 anos, que apresentavam comorbidades como diabetes e pressão alta. Aparentemente esses pacientes tiveram reações iguais ou até inferiores aos demais grupos", destacou.  

COLETA DE DADOS

Conforme Villagelin, a coleta de exames de sangue nos pacientes que já receberam a dose teve início em 9 de dezembro e deve ser concluída até início de janeiro. O diretor explica ainda que a pesquisa durará cerca de dois anos, mas a expectativa é que ela seja aplicada na população no primeiro semestre do ano que vem, caso os resultados sejam favoráveis.  

"Todo mundo quer essa vacina para ontem. O estudo vai durar dois anos, entretanto, esses pacientes estão sendo avaliados e os dados de sorologia, de sangue e anticorpos estão sendo colhidos. Os pacientes que receberam a vacina voltam depois de 28 dias no nosso centro para tirar sangue e realizar o exame de anticorpos. Provavelmente o Comitê Central vai protocolar esses dados na agência européia, americana ou no próprio Brasil para ter a autorização emergencial para o uso da vacina", pontuou.  

Ao todo, 27 centros de testagem aplicaram a dose única da Ad26.COV2.S no país. Inicialmente, o Hospital PUC Campinas havia divulgado que esperava imunizar 1 mil pessoas e que, em todo o país, o objetivo da J&J era de vacinar 7 mil pessoas.  

No entanto, como esse objetivo já foi atingido, a PUC encerrou a testagem antes. "Mesmo assim, foi considerado um sucesso de voluntários e um dos centros no Brasil que mais vacinou", informou o hospital em nota.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários