ACidade ON

Lacrao de quem promove aglomerao comea hoje em Campinas
Reprodução: ACidade ON
Lacrao de quem promove aglomerao comea hoje em Campinas


A partir de hoje (21) bares e casas noturnas de Campinas que não cumprirem os protocolos sanitários contra a disseminação do novo coronavírus terão o alvará de funcionamento suspenso por três meses. O  decreto determinando a decisão, anunciada na última sexta-feira pelo prefeito Jonas Donizette (PSB), já foi publicado no Diário Oficial.

O documento prevê suspensão do alvará por três meses daqueles comércios que forem pegos em "situações anormais e abusivas", como aglomerações, por exemplo. De acordo com Jonas, a punição valerá para todos os tipos de estabelecimentos, especialmente para os barzinhos e casas noturnas que, segundo o prefeito, são os que mais têm apresentado irregularidades.

"Continuamos com a fiscalização para que as pessoas cumpram as regras de combate à covid-19", afirmou o prefeito. Ele explicou que a partir do novo decreto, se for encontrada alguma situação fora do que é permitido, configurando aglomeração, a medida será imediata. "Já vai lacrar e fechar por três meses."  

O prefeito também fez um apelo aos donos dos estabelecimentos: "Não permita aglomeração, porque você vai ter seu estabelecimento fechado. Só voltará a abrir em março". A suspensão do alvará de funcionamento por três meses poderá ser aplicada por descumprimento de medida sanitária no ato da fiscalização, com a lacração do local.

Qualquer situação que configure abuso, como ambiente lotado, aglomeração, lotação acima do percentual permitido para o local, pessoas em pé, falta de distanciamento social e de uso de máscaras de proteção, poderá levar ao fechamento. "Vale para todo o estabelecimento que extrapolar", afirmou o prefeito.

Também na sexta-feira o prefeito informou que a maior parte dos casos sintomáticos da doença na cidade são registrados entre jovens e adultos. Segundo o secretário de Saúde, Carmino de Sousa, 85% do total de casos são registrados em pacientes abaixo de 60 anos, sendo que 41,6% são na faixa etária entre 20 e 39 anos. E essa é a população que mais frequenta eventos com aglomeração e acaba transmitindo o vírus para os mais velhos.

Você viu?

PREOCUPAÇÃO

O crescimento de casos de jovens adultos e adolescentes infectados pelo novo coronavírus tem indignado os profissionais que estão na linha de frente do combate à doença.

O secretário Carmino de Souza afirmou que passaram a ser situações mais graves e não aquelas que não apresentam sintomas. "Agora são casos sintomáticos, de pessoas adoecidas, que estão com os sintomas mesmo", disse explicando que demandam leitos de internação nos hospitais.



A indignação se deve ao fato do comportamento irresponsável dos jovens ser a principal causa que leva ao adoecimento, o que poderia ser evitado com as medidas preventivas.

O presidente da Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar, Marcos Pimenta, fez um apelo à consciência dos jovens, que além de colocarem a família e pessoas próximas em risco, também sobrecarregam o sistema de saúde pelo ato de se expor desnecessariamente em meio a uma pandemia. "O jovem morre também", afirmou Pimenta. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários