Aluna de 15 anos de Valinhos ganha prmio em feira de cincia
Reprodução: ACidade ON
Aluna de 15 anos de Valinhos ganha prmio em feira de cincia


Uma aluna de 15 anos de Valinhos foi premiada por um projeto de extensão apresentado na FECITEC (Feira de Ciência e Tecnologia de Palotina), no Paraná.  

Verônica Carmacio Chaves, estudante do 1º ano do ensino médio na Escola Estadual Adoriran Barbosa, ganhou a medalha na categoria "Rocket Girl: Meninas na astronomia e na astronáutica". O projeto apresentado por ela estuda a utilização do gás argônio no combate às queimadas, visando a elaboração de um produto retardante ao fogo, ajudando a combater o alastramento do fogo nas regiões florestais.  

A estudante declarou que pensa em seguir na área da astronomia, geofísica ou algo relacionado ao meio ambiente, e que a conquista serviu para incentivar ainda mais a carreira na ciência.  

"Me sinto orgulhosa, pois foram meses de muito estudo e determinação, o prêmio fez com que eu me sentisse ainda mais incentivada para seguir em frente. Sinto que estou sendo reconhecida", disse.  

Você viu?

Segundo Verônica, o projeto foi pensado pelo aumento de incêndios, que tem se tornado frequentes em biomas brasileiros. Ao todo, o Brasil registrou 66,9 mil focos em 2019, segundo a medição do Programa Queimadas do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), e o número de focos de queimadas aumentou 70% de 2018 até o mês de agosto do ano atual.

"Essa partícula a ser criada ,será solúvel no fogo, tendo como base o gás argônio, podendo ser balanceado com mais substâncias, como o bicarbonato de sódio. Se for possível deixar o argônio em forma líquida, também será possível deixá-lo em forma solúvel, fazendo com que diminua os resíduos e deixe muito mais eficaz, propondo assim, os baixos índices de alastramento do fogo nas queimadas. A hipótese é que quando a partícula encostar no fogo, ocorra uma reação, e acabe se dissolvendo, fazendo com que apague o fogo" explicou.

A FECITEC, feira que a aluna de Valinhos participou, é um evento que busca incentivar a produção científica nas escolas através da apresentação de projetos e experimentos. O projeto é financiado pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).  

Segundo a instituição, o objetivo da Feira é incentivar o trabalho dos alunos a fim de colocar as suas ideias criativas ou inovadoras em prática, proporcionando a participação aos vencedores em outras feiras nacionais ou internacionais ou despertando um interesse maior pela pesquisa científica através das bolsas de Iniciação Científica Júnior para os alunos destaques.



"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários