ACidade ON

Campinas tem aumento de 63% nos casos de estupro em novembro
Reprodução: ACidade ON
Campinas tem aumento de 63% nos casos de estupro em novembro

O mês de novembro em Campinas foi marcado pelo aumento no número de estupros e lesões corporais dolosas , em comparação com o mesmo mês de 2019. Os dados fazem parte das estatísticas criminais divulgadas nesta segunda-feira (28) pela SSP (Secretaria de Segurança Pública) de São Paulo. 

De acordo com o Estado, Campinas registrou 31 estupros em novembro - sendo 23 deles, de vulnerável -, contra 19 no mesmo mês do ano passado. O aumento configura uma alta de 63,1% nas estatísticas.  

Além do comparativo com o ano anterior, se levado em consideração apenas o meses de 2020, novembro também foi o mês que mais computou casos de estupro de vulnerável comparado aos demais meses. Até então, o maior número havia sido registrado em agosto, com 22 ocorrências. 

O aumento também foi notado a nível regional, onde se contabilizou 14 ocorrências a mais de estupro comparado ao mesmo mês do ano anterior - passou de 73 para 87. 

Em 16 de novembro, o ACidade ON Campinas noticiou o caso de um homem de 48 anos, acusado de agredir sexualmente uma menina de 6 anos no bairro Vila Vitória, em Campinas.  

O caso foi divulgado pela GM (Guarda Municipal), após a corporação ter recebido uma denúncia anônima do suposto crime e levado a mãe da vítima, de 26 anos, para registrar boletim de ocorrência por estupro de vulnerável na 2ª DDM (Delegacia de Defesa Da Mulher).

De acordo com a Justiça brasileira, é considerado estupro de vulnerável o ato de ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos, com alguém doente ou deficiente mental, que não tenha o necessário discernimento para a prática do ato sexual, assim como alguém que, por qualquer outra causa, não possa oferecer resistência. 

Você viu?

Sendo assim, a Justiça categoriza como vulnerável a pessoa incapaz de consentir validamente o ato sexual, ou seja, é o passível de lesão, despido de proteção. 

LESÕES 

Em relação às lesões corporais dolosas, o aumento chegou a 51%. Enquanto foram registrados 235 casos em novembro de 2019, a Polícia Civil de Campinas notificou 355 ocorrências no mesmo período desse ano. 

O número (355) também foi o maior registrado em um único mês desde março de 2016, em que os casos de lesões corporais dolosas chegaram a 369. 

Em 27 de novembro o ACidade ON noticiou um desses casos. Um idoso de 67 anos foi agredido em plena luz do dia, no Centro de Campinas, pelo companheiro de uma mulher a quem ele havia dado "bom dia". A agressão foi flagrada por câmeras de segurança da rua. 

REGIÃO 

Ainda segundo o Estado, a região de Campinas terminou o mês de novembro com redução nos casos e vítimas de homicídio doloso. Os dados mostram que nesse período as ocorrências de morte intencional caíram de 28 para 18, se analisados os meses de novembro de 2019 e 2020. Em relação às vítimas, a quantidade passou de 30 para 18. 


Com as reduções, as taxas dos últimos 12 meses (de dezembro de 2019 a novembro de 2020) ficaram em 6,42 casos e 6,58 vítimas de homicídio doloso para cada grupo de 100 mil habitantes. Os índices são os menores da série histórica, iniciada em 2001, para o período. 

Em novembro, o indicador de roubo seguido de morte permaneceu estável com um boletim e uma vítima.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários