ACidade ON

Campinas segue na fase amarela do Plano São Paulo.
Gilson Machado / Prefeitura de Campinas
Campinas segue na fase amarela do Plano São Paulo.

Hoje (11) é o primeiro dia da nova fase amarela do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena de combate ao coronavírus que começa na região de Campinas. A principal mudança está na diminuição dos horários dos comércios. As novas regras foram anunciadas na última sexta-feira. 

Os estabelecimentos devem continuar a limitar a capacidade de público em 40%, mas o Estado determinou que o limite de funcionamento diário do comércio seja reduzido de 12 para 10 horas.

Os shoppings da cidade já divulgaram o novo horário - clique aqui e leia mais . A Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas) ainda não definiu quais serão os horários no Centro. Segundo a associação, os comerciantes sugeriram os horários das 8h às 20h ou das 9h às 21h. No entanto, ainda será decidido se os lojistas terão liberdade para escolher o período de funcionamento.

Campinas permanece na fase amarela desde a classificação feita no dia 30 de novembro , realizada um dia após o resultado das eleições, e que deixou todas as regiões de São Paulo na fase amarela. Até então, o DRS (Departamento Regional de Saúde) de Campinas estava desde outubro na fase verde.

Durante o Natal e o Ano Novo, no entanto, o Estado decidiu por manter todas as cidades por seis dias na fase vermelha , o que segundo o governo foi decidido para evitar o aumento de casos. A nova reclassificação, segundo o Estado, deve acontecer no dia 4 de fevereiro, mas os dados serão acompanhados, sendo possível mudanças até lá. 

Você viu?

MUDANÇAS 

Durante o anúncio, o governo ainda informou novos critérios para mudança de fase, com o endurecimento de critérios para o regresso. Por outro lado, trouxe maior flexibilização no caso de autorizações de abertura do comércio.

Para avançar para a fase verde, antes a região precisava alcançar o índice de 40 internações para 100 mil habitantes, e cinco óbitos por 100 mil nos últimos 14 dias. A partir de agora, a região precisa alcançar 30 internações por 100 mil habitantes, e três óbitos por 100 mil nos últimos 14 dias - dificultando assim o avanço de fase.

Já para regredir para a fase laranja ficou mais fácil, sendo que antes o parâmetro usado era a taxa de ocupação de leitos covid-19 em 75% no DRS, e agora passa para 70%. No entanto, a fase laranja será mais "flexível", permitindo a atividade de todos os setores da economia, também com capacidade de 40% de ocupação mesmo critério da fase amarela.

O que continua diferenciando a fase amarela para a laranja será o horário de funcionamento permitido: na fase laranja, será permitido o funcionamento por oito horas diárias. Já na fase amarela o horário permitido é de no máximo 10h por dia.

Na fase laranja, ainda é proibido atendimento presencial em bares, e todos os estabelecimentos devem encerrar o atendimento presencial às 20h. Já na fase amarela, a restrição também é para bares encerarem as atividades às 20h, já os demais estabelecimentos podem funcionar até ás 22h. 

CAMPINAS 

Segundo os indicadores do Estado, a região de Campinas permaneceu na fase amarela por apresentar indicadores ainda dentro do limite. O DRS apresentou número de 67,3% de ocupação de leitos UTI Covid-19, 33 novas internações por 100 mil habitantes e 4,4 novos óbitos por 100 mil habitantes. 

REVEJA AS REGRAS DA FASE AMARELA: 

- Eventos com público em pé ainda são proibidos;

- Ocupação máxima de shopping centers, galerias, comércio e serviços é de 40% da capacidade, com horário limitado a 10h diárias;

- Ocupação máxima de restaurantes ou bares para consumo local também é de 40%. O horário de funcionamento será restrito a 10 horas por dia e até as 22h para restaurantes. Para o setor de bares o atendimento é até as 20h;

- Ocupação máxima de salões e barbearias é de 40% da capacidade e o horário de funcionamento limitado em 10 horas por dia;

- Eventos, convenções e atividades tem capacidade máxima limitada a 40%, o controle de acesso é obrigatório, assim como hora e assentos marcados;

- Academias de esporte de todas as modalidades e centros de ginástica tem capacidade reduzida para 30% e aulas e práticas em grupo suspensas;

- Cinemas teatros e museus podem permanecer abertos, com prefeituras tendo autonomia para decidirem sobre o funcionamento;

- Aulas são permitidas;

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários