ACidade ON

Circulação na Unicamp durante o vestibular realizado na semana passada.
Divulgação/Unicamp
Circulação na Unicamp durante o vestibular realizado na semana passada.


A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) elaborou um cronograma de vacinação contra a covid-19 nos funcionários dos campis de Campinas, Limeira e Piracicaba. A expectativa é que 12,2 mil profissionais sejam vacinados até o dia 26 de março.

Segundo a universidade, o plano segue as diretrizes elaboradas pelo Estado de São Paulo em relação às datas de aplicação das duas doses das vacinas e também aos públicos que serão priorizados nesta primeira fase de vacinação.

De acordo com o cronograma do governo estadual, a vacinação é prevista para começar em São Paulo no próximo dia 25, dependendo da aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que deve dar ou não o aval da Coronavac amanhã (17).

Segundo a coordenação do Cecom (Centro de Saúde da Comunidade) a definição do dia em que a vacinação terá início na Unicamp ainda depende dos trâmites de aprovação pela Anvisa, tanto em relação a Coronavac como à de Oxford, e da distribuição das doses às unidades de saúde. No entanto, a universidade, também trabalha com a previsão para o dia 25.

Apesar do cronograma montado, a coordenadora do Cecom, Patrícia Falabella Leme, explica que a vacinação vai depender do repasse e das vacinas entregues à Unicamp. Na universidade, as vacinas serão aplicadas no HC e no Caism para os trabalhadores da saúde e no Cecom para os grupos de idosos, indígenas e quilombolas

"É importante esclarecer que essas vacinas são repassadas da Secretaria Estadual de Saúde ao Município de Campinas. Só então o Município verifica todas as demandas da cidade e aí fazem o repasse para cada Unidade Básica de Saúde, para o Hospital de Clínicas da Unicamp, para o Cecom, etc. Por isso, até o momento nós ainda não obtivemos nenhum prazo de entrega ou estimativa do número de vacinas que devemos receber ", disse.

Segundo Patrícia, como existe a possibilidade de que as doses solicitadas pela Unicamp sejam entregues aos poucos, foi montado um escalonamento para definir quais pessoas incluídas na fase 1 terão prioridade, respeitando o Plano Estadual de Vacinação.

"É importante que a gente tenha um planejamento para conseguirmos alcançar as pessoas com maior necessidade antes, como as que trabalham nas UTIs Covid, e na sequência os demais", detalha.

QUAIS VACINAS?  

Outro planejamento que será necessário, segundo o Cecom, é o de administração das duas vacinas que deverão estar disponíveis, entre a Coronavac e a vacina de AstraZeneca/Oxford.

"A orientação do município é de que nós estejamos preparados porque o plano do Governo Federal pode ter início e aí começamos a trabalhar com ele também, juntamente com o plano estadual. Nesse caso, vamos receber a vacina da AstraZeneca. Para isso, seguiremos a orientação de que a primeira e a segunda dose que o paciente vai receber devem ser do mesmo fabricante", avaliou a coordenadora adjunta do Cecom, Rôse Trevisane.  

COMO VAI FUNCIONAR

Você viu?

Segundo a Unicamp, os grupos da fase 1 da vacinação serão os trabalhadores da saúde, incluindo profissionais da saúde (médicos, enfermeiros, entre outros) e demais funcionários que se dedicam a outras atividades nessas unidades, como limpeza, zeladoria e administração, idosos acima dos 60 anos; indígenas e quilombolas.  

Na Unicamp, esse público totaliza cerca de 12.200 pessoas, sendo cerca de 6.300 trabalhadores da saúde, 5.700 idosos e 150 indígenas (veja o calendário abaixo).

"São justamente as pessoas que precisam estar mais protegidas nessa primeira fase. Os trabalhadores de saúde precisam ser vacinados para continuarem a cumprir sua missão, para se protegerem e protegerem suas famílias. Os idosos têm uma chance altíssima de ter alguma complicação", disse Patrícia.  

As coordenadoras destacam que o HC deverá contar com mais de um local de aplicação, para facilitar às equipes, e no Cecom a vacinação deverá ocorrer em um ambiente separado do espaço de atendimento comum, para preservar principalmente a saúde do público idoso.  

Os campi de Limeira e Piracicaba serão atendidos pelas equipes do Cecom de Limeira, de acordo com o mesmo cronograma.   

Plano de vacinação entre profissionais da Unicamp (Foto: Divulgação Unicamp)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários