ACidade ON

Campinas espera não regredir de reclassificação no Plano São Paulo, mas índices preocupam.
Fernanda Sunega/PMC
Campinas espera não regredir de reclassificação no Plano São Paulo, mas índices preocupam.

O governo do Estado antecipou para esta sexta-feira (22) a nova reclassificação do Plano São Paulo de enfrentamento à pandemia do coronavírus .

A princípio, a reclassificação estava prevista para o dia 5 de fevereiro, mas foi antecipada para hoje, sendo que o governador João Doria (PSDB) alegou uma revisão de critérios a partir de estudos do Comitê de Contingência da Covid-19 . Foi adiantado para a imprensa que uma dessas medidas será a proibição de serviços não essenciais após às 20h em todo o Estado.

Essa será a terceira reclassificação feita em 15 dias. A última foi feita na última sexta-feira (15) e regrediu oito regiões do Estado - sendo uma para a fase vermelha (Marília) e outras sete para a fase laranja (leia mais aqui). O DRS (Departamento Regional de Saúde) de Campinas se manteve então na fase amarela , apesar do aumento de casos e índices no limite das regras estipuladas pelo Comitê.

Para a nova reclassificação de hoje, os índices mais preocupantes na região de Campinas são o da taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para covid-19 e o de novos casos por número de habitantes. Estes índices podem levar a região ao regresso à fase laranja (veja abaixo). 

PODE REGREDIR? 

Conforme as regras atuais, regredir para a fase laranja ficou mais fácil, sendo que antes o parâmetro usado era a taxa de ocupação de leitos UTI covid-19 em 75% no DRS, e agora passa para 70%.

Atualmente, segundo o Seade (Fundação Sistema Atual de Análise de Dados) do Estado de São Paulo, o índice no DRS de Campinas está no limite, com 70,4% de ocupação.

Ainda segundo os critérios anunciados pelo governo, para regredir na fase laranja a região precisa ter nos últimos 14 dias: 

- Acima de 360 novos casos por 100 mil habitantes: atualmente a região tem 405,4 novos casos;

- Acima de 60 novas internações por 100 mil habitantes: atualmente a região tem 41,9 novas internações;

- Acima de 8 óbitos por 100 mil habitantes: o índice atualmente é de 6,1;

- Leitos UTI covid-19 por 100 mil habitantes entre 3 e 5: a região tem 15,6

- Ocupação de leitos UTI Covid entre 70% e 80%: a taxa atual é de 70,4%

Também são analisados os indicadores de evolução da pandemia, como a incidência de novos casos, óbitos e internações. Apesar de grande alta na última semana, nesta semana a variação semanal ficou equilibrada. A alta de novos casos, segundo o Seade é de 5,9%, de mortes -4,9% e de internações 2,9%.  

Você viu?

MAIS BRANDA

Apesar de ficar mais fácil regredir, a fase laranja agora também é mais "flexível". Antes, a fase proibia abertura de estabelecimentos como salões, academias e teatros por exemplo.

Também era limitado o horário em 4 horas por dia, com 20% da capacidade. Agora, as regras permitem a atividade de todos os setores da economia por 8 horas diárias, também com capacidade de 40% de ocupação, mesmo critério da fase amarela.


NO ESTADO

Atualmente, o Estado tem 67% da sua população na fase amarela do plano que coordena a flexibilização ou o endurecimento de medidas restritivas. São seis regiões, incluindo a de Campinas, na fase de menos restrições se comparada com a laranja e a vermelha. Outras dez regiões estão na fase laranja e apenas uma, de Marília, se encontra na vermelha, em que apenas serviços essenciais devem funcionar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários