ACidade ON

Cadeirante é impedida de usar transporte público por falta de estrutura
Reprodução: ACidade ON
Cadeirante é impedida de usar transporte público por falta de estrutura

A falta de acessibilidade no transporte público de Campinas tem sido alvo de reclamações feitas por pessoas com deficiência . Passageiros têm relatado dificuldades para conseguir usar os ônibus , muitas vezes tendo o acesso negado por falta de estrutura.

Uma cadeirante vivenciou isso e teve o acesso negado registrado na manhã hoje (16) pela câmera de segurança de um vizinho. A passageira Juliana Pinheiro de Freitas, do bairro Ouro Preto esperava o ônibus par ir ao trabalho, mas não conseguiu entrar por causa de um problema na plataforma de embarque. Segundo ela, esse mesmo problema foi enfrentado por quatro dias seguidos na semana passada, e é constante nos últimos meses. 

"Tenho tido ocorrências devido aos ônibus não funcionarem, tem também o despreparo de muitos motoristas e infelizmente perco hora. Muitas vezes tenho que gastar do meu dinheiro e pedir um uber" relatou Juliana, que pega o ônibus da linha 229, que liga a PUC ao Ouro Verde. 

No flagrante é possível ver que o motorista do ônibus chega a parar o veículo e tentar fazer o teste, mas logo indica o problema, deixando a passageira no ponto. O vizinho de Juliana, indignado pela situação, encaminhou as imagens como forma de protesto.

Você viu?

"É o cotidiano diário, vejo a dificuldade, até na calçada para ir para o ponto, a locomoção dela é muito dificil", comentou o vizinho de Juliana, Agno dos Santos Ramalho.  


Juliana confirma que em todas situações chegou a avisar a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas). Segundo ela, a empresa costuma indicar a ela que "pegue o próximo ônibus" e citar que o veículo seria retirado de circulação o que não acontece,

"Eles costumam falar pra pegar o próximo e falar que vai recolher, mas nunca acontece.A gente paga a passagem, impostos e tudo mais, e queria o básico, o direito de ir e vir", acrescentou.

OUTRO LADO

Procurada, a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) disse que lamenta a situação enfrentada pela usuária, e afirmou que vai contatar a empresa responsável pela operação do veículo para prestar esclarecimentos sobre o problema.

Segundo a Emdec, a linha citada, 239, tem todos os ônibus acessíveis, sendo que o intervalo entre eles é de 21 minutos no período de pico. Sobre o ônibus mostrado nas imagens, a Emdec afirmou que ele passou por vistoria em 26 de janeiro, e não apresentou problemas no elevador, mas uma nova inspeção será realizada.



Ainda segundo a Emdec, 96% do transporte público de Campinas possui acessibilidade, e uma nova licitação do transporte determina 100% de acessibilidade no sistema. 

O Setcamp (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas) responsável pela frota da linha, afirmou que realiza manutenções preventivas e que a inspeção dos veículos é realizada a cada 5 mil quilômetros rodados. Segundo o sindicato, uma inspeção no veículo foi realizada no mês passado, e o veículo citado não apresentava falhas hoje antes de sair da garagem, mas pode apresentar problemas durante a operação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários