ACidade ON

Devisa investiga morte de estudante de 13 anos por suspeita de covid em Campinas
Reprodução: ACidade ON
Devisa investiga morte de estudante de 13 anos por suspeita de covid em Campinas

O Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde) de Campinas confirmou nesta sexta-feira (26) que investiga a morte de uma estudante de 13 anos , em Campinas, por suspeita de Covid-19 . Segundo o órgão, o exame PCR para covid-19 da adolescente deu negativo, mas o Departamento ainda aguarda outros exames.

O caso repercutiu nesta semana nas redes sociais, após um post de uma professora da escola estadual onde ela estuda viralizar em uma rede social.

A mensagem afirma que a menina morreu em decorrência da covid-19 após o retorno das aulas na rede estadual, criticada pela professora por conta do aumento de casos. A adolescente, segundo o relato, era estudante da Escola Estadual Escritora Rachel de Queiroz, no Jardim Yeda.

"Junto com o sofrimento pelo ocorrido, vem o ódio por saber que pode ser o início de uma tragédia já anunciada e levada a frente pelo governador Doria e seu secretário de educação, Rossieli Soares, em meio a todo negacionismo de Bolsonaro que ceifa vidas", escreveu a educadora.

A escola onde a adolescente estudava também divulgou nota de pesar no Facebook nessa semana. Por conta do ocorrido, a unidade escolar informou aos pais que permaneceria fechada nesta quinta e sexta-feira. A direção da escola também escreveu.  

Você viu?

"É com pesar que a E.E. Escritora Rachel de Queiroz vem por meio deste informar o falecimento da Aluna Ana Clara Macedo dos Santos, do 8° Ano B em decorrência de complicações da Covid-19".

A Secretaria Estadual de Educação informou que até o momento não houve nenhum caso confirmado de covid-19. Segundo informou a Setec (Serviços Técnicos Gerais), a menina foi cremada no Crematório Municipal, na quinta-feira.


APURAÇÃO

Segundo a diretora do Departamento, Andrea von Zuben, o caso está sob investigação pois pode existir uma contaminação residencial, mas a transmissão na sala de aula não é considerada. "Não dá para afirmar que é covid. E mais: temporalmente, ela foi um dia na escola. Não estamos atribuindo à escola. Tudo parece a ser um tipo de contaminação residencial", disse ela.

O prefeito Dário Saadi (Republicanos), que também é médico, afirmou que apesar do PCR ter dado negativo, pode ser que a vítima tenha tido contato. Por isso, a investigação continua. Além disso, Andrea afirmou ainda que não há outros casos semelhantes na cidade sob investigação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários