Toque de recolher: Campinas abordou 63 pessoas por hora
Reprodução: ACidade ON
Toque de recolher: Campinas abordou 63 pessoas por hora

A Prefeitura de Campinas abordou, nos 18 primeiros dias de fiscalização do toque de recolher , cerca de 63 pessoas por hora durante as nove horas de abordagens diárias. O balanço foi divulgado pela Administração na tarde desta segunda-feira (5). 

A operação começou dia 18 de março e tem como objetivo restringir a circulação de pessoas entre 20h e 5h somente para serviços essenciais.

De acordo com a Administração, neste período, foram abordadas 10.261 pessoas nas barreiras da Prefeitura - uma média de 63,3 pessoas por hora.

Você viu?

Além disso, a força-tarefa municipal informou que 9.132 carros foram abordados durante os primeiros 18 dias de toque de recolher em Campinas.

Entre 18 de março e 5 de abril, a fiscalização visitou 1.314 estabelecimentos comerciais, sendo que destes 239 foram fechados e 70 lacrados por descumprimento do decreto da Fase Emergencial.

FASE EMERGENCIAL

Atualmente, Campinas encontra-se na fase emergencial do Plano São Paulo , ao menos até o dia 11 de abril, com a restrição de várias atividades e a orientação de que as pessoas só saiam de casa para o que for essencial. O objetivo é evitar aglomerações e a disseminação do coronavírus.


COMO É?

As operações consistem na implantação de bloqueios em vias de maior movimento na cidade e têm o caráter educativo e de orientação. As blitzes são feitas diariamente pela Guarda Municipal, em parceria com as polícias Civil e Militar e devem ocorrer até 11 de abril, conforme decreto da Fase Emergencial em Campinas.

Durante as barreiras, os veículos são abordados e os ocupantes questionados sobre o motivo pelo qual estão na rua. As pessoas são orientadas a voltar para casa se estiverem na rua por uma razão que não seja emergencial. Não há multa ou punição.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários