Covid-19: em março, 189 profissionais da saúde foram afastados em Campinas
Reprodução: ACidade ON
Covid-19: em março, 189 profissionais da saúde foram afastados em Campinas

Campinas teve no último mês o pior da pandemia- 189 profissionais de saúde municipal afastados por suspeita ou confirmação de covid-19. Ao todo, no primeiro trimestre deste ano foram 521 servidores com licença médica. 

Segundo o levantamento da Prefeitura, 91 profissionais afastados foram da secretaria de Saúde, e 98 na Rede Mário Gatti, que abrange os profissionais que atuam nas unidades de urgência e emergência como os hospitais Ouro Verde, Mário Gatti nas UPAS (Unidades de Pronto-Atendimento) e Samu. A Administração foi questionada sobre o total de mortes e de contaminados, nesse período, mas não informou os dados.  

Em comparação com os primeiros meses do ano, em janeiro 178 foram afastamentos, e em fevereiro 154. Campinas conta com contingente de cerca de 5,5 mil funcionários na Saúde. Segundo a Prefeitura, a média de afastamento nesse período foi de 3% por mês. 

Segundo a Prefeitura, o número inclui "profissionais que apresentaram sintomas respiratórios ou gripais", sendo que não necessariamente foram causados por infecção pelo novo coronavírus.  

A Rede Mário Gatti de Urgência, suspendeu de 1º de abril até 31 de maio, as férias, licença prêmio, abono assiduidade e compensação de jornadas dos servidores que atuam na rede. Segundo a Saúde, a medida foi tomada em função do agravamento da pandemia, com aumento expressivo do número de pacientes que necessitam de atendimento médico-hospitalar.

VACINAÇÃO

De acordo com o último balanço da Saúde, já receberam a 1ª dose da vacina contra a covid-19 38.164 trabalhadores da Saúde (incluindo rede pública e privada). Já com cobertura vacinal completa e já com a segunda dose são 24.787.  

Apesar de grande parte dos profissionais de saúde do município já estarem imunizados, a Prefeitura ressalta que a vacina não impede a infecção.  

"É importante ressaltar que a vacina diminui a gravidade da doença e o risco de internação hospitalar, mas não impede a infecção", disse a nota encaminhada pela Administração.  

SINAL DE MELHORA

Apesar do total de afastamentos no mês de março, no dia 31 a Prefeitura tinha apenas 13 pessoas da Secretaria Municipal de licença médica, sendo que os afastamentos têm quantidades de dias variáveis.  

Na última semana a Saúde indicou uma leve melhora nos números da doença em Campinas após as restrições mais duras. Segundo a Secretaria, os atendimentos nos CSs (Centros de Saúde) mostraram queda. Nesta semana, o índice de pessoas na espera por leitos de enfermaria e UTI também diminuiu.

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários