Justino Alfredo fez parte do Força Expedicionária Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial.
Divulgação/Exército Brasileiro
Justino Alfredo fez parte do Força Expedicionária Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial.

O ex-combatente da 2ª Guerra Mundial , Justino Alfredo , morreu nesta segunda-feira (12), aos 101 anos. Ele era o último pracinha vivo em Campinas e chegou a receber uma homenagem em 2019, quando completou 100 anos.

Justino Alfredo era o último veterano vivo da Força Expedicionária Brasileira nascido em Campinas. Entre os anos de 1908 a 1945 Campinas teve um grupo de Tiro de Guerra, o TG 176, que formava reservistas. Eles ficavam em prontidão para treinamentos durante a 1ª Guerra Mundial, e tiveram também participação nas Revoluções de 1924, 30, 32 e na 2ª Guerra Mundial. Ao todo 328 Pracinhas foram enviados para lutar na Itália em diversas unidades Militares.

Você viu?

Justino nasceu em Campinas, em 24 de setembro de 1919 e teve seu treinamento militar inicial no Tiro de Guerra 176, no ano de 1940. Em 1942, aos 23 anos de idade, foi convocado para reincorporação no 6º Regimento de Infantaria, em Caçapava para realizar o treinamento e seguir para a Itália com integrante da Força Expedicionária Brasileira. Embarcou para Itália com seus colegas em julho de 1943, integrando o 1° escalão da Força Expedicionária Brasileira.


Atuou em setembro de 1944 em libertação da Cidade de Massarosa, participando de todas as batalhas da 1° Divisão de Infantaria Expedicionária: Camaiore, Monte Prano, Porreta Terme, Castelnuovo, Montese, Monte Castelo, Zocca, e em Fornovo di Taro, que culminou com a rendição de duas divisões de Infantaria alemãs, uma italiana, armas, veículos, equipamentos, e mais de 14 mil soldados e oficiais.

O velório vai ocorrer das 8h30 às 9h30, na capela do Cemitério Flamboyant, nesta terça-feira, onde ele será enterrado na sequência. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários