Covid: Saúde define comorbidades para vacinação entre 55 e 59 anos
Reprodução: ACidade ON
Covid: Saúde define comorbidades para vacinação entre 55 e 59 anos

O Ministério da Saúde definiu as comorbidades para vacinar pessoas com idades entre 55 a 59 anos e, em São Paulo, o grupo está previsto para ser vacinado a partir de 12 de maio. Nesta quarta-feira (5), o governo estadual apresentou a lista (veja abaixo) em coletiva oficial. o público-alvo é de 900 mil pessoas.

As pessoas com comorbidades devem apresentar exames que comprovem a condição de risco, receita, relatório médico ou prescrição médica. Cadastros de pacientes em tratamento na unidades de saúde também poderão ser utilizados como comprovantes.

CRONOGRAMA


Em 11 de maio, começa vacinação de gestantes e das mães com comorbidades que deram à luz recentemente, um total de 100 mil mulheres acima de 18 anos.

No mesmo dia, também começa a imunização de pessoas com deficiência permanente, entre 55 e 59 anos, um total de 30 mil pessoas. Já no dia seguinte será iniciada a vacinação das pessoas entre 55 e 59 anos que possuam comorbidades (leia mais aqui).

EM CAMPINAS

Em Campinas, vale lembrar que a vacinação é feita mediante agendamento obrigatório, ou pelo site https://vacina.campinas.sp.gov.br/ ou pelo telefone 160.

CONFIRA AS COMORBIDADES DEFINIDAS PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE

- Doença cardiovasculares

- Insuficiência cardíaca

- Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar

- Cardiopatia hipertensiva

- Síndrome coronariana

- Valvopatias

- Miocardiopatias e pericardiopatias

- Doença da aorta, dos grandes vasos e fístolas arteriovenosas

- Arritmias cardíacas

- Cardiopatias congênitas no adulto

- Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados

- Diabete mellitus

- Pneumopatias crônicas graves

- Hipertensão arterial resistente

- Hipertensão arterial estágio 3

- Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão de órgãos alvos

- Doença cerebrovascular

- Doença renal crônica

- Imunossuprimidos

- Anemia falciforme

- Obesidade mórbida

- Cirrose hepática

- HIV

Fonte: Ministério da Saúde e Governo de São Paulo




"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários