Pandemia: atropelamentos com morte têm alta de 61,5% em Campinas em 2020
Reprodução: ACidade ON
Pandemia: atropelamentos com morte têm alta de 61,5% em Campinas em 2020

A porcentagem de atropelamentos fatais nas ruas de Campinas aumentou 61,5% em 2020, em meio a pandemia de covid-19, se comparado com o mesmo período de 2019. Segundo o Boletim Epidemiológico de Mortalidade por Acidentes de Trânsito e Caderno de Acidentalidade, divulgado nesta terça-feira (11), o motivo seria o aumento de velocidade dos veículos que trafegam nas vias da cidade - mais vazias por conta das medidas de isolamento social para o combate ao coronavírus.

Os dados compilados pela Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) mostram que a pandemia trouxe impacto na redução de veículos circulando e de pedestres nas vias. Vale lembrar que Campinas entrou em quarentena contra a covid-19 na segunda quinzena de março do ano passado.

Apesar dessa redução no movimento - com queda de 14,1% no total de atropelamentos - a velocidade praticada pelas ruas e avenidas do município aumentou - o que deixou os acidentes mais severos.

O levantamento da Emdec também revela um aumento de 58,7% no número de veículos flagrados trafegando com velocidade acima de 100 km/h por vias que em sua maioria tem velocidade máxima permitida de 60km/h.  

Em Campinas, a maior velocidade máxima permitida em uma via é de 70 km/h. Inclusive, houve também aumento de 17,8% de veículos circulando acima de 70 km/h, se comparado a 2019. 

Você viu?

A quantidade total de vítimas fatais registradas em 2020 foi de 61 vítimas, sendo que 21 (34,4%) eram pedestres, 24 (39,3%) eram ocupantes de motocicletas e 16 (26,2%) eram ocupantes dos demais veículos. Com relação aos índices de mortalidade por 100 mil habitantes, observa-se uma redução de 63%, comparando o período de 2011 a 2020. Entre os anos de 2019 e 2020, ocorreu aumento de 0,9%.

DADOS

Sobre o boletim, o presidente da Emdec, Ayrton Camargo e Silva, afirmou que os dados são importantes para fazer a gestão do trânsito na cidade. "Quem não mede, não gerencia. Esse é um acervo dos órgãos gestores, pois temos desde a década de 90 esses números. São números tristes, mas existe alegria em quase 30 anos de série histórica, pois temos duas curvas que estão dispostas de forma oposta: a do aumento da frota e da população, com diminuição de acidente".

Pela série histórica, o total de vítimas fatais no trânsito de Campinas caiu 58,8% entre 2011 e 2020. Já entre o ano passado e 2019, houve aumento de 1,7%.

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários