Quase metade dos acidentes fatais de Campinas são causados por embriaguez. (Foto Ilustrativa)
Reprodução/ACidade ON
Quase metade dos acidentes fatais de Campinas são causados por embriaguez. (Foto Ilustrativa)

Levantamento feito pela Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) aponta que 48,5% dos acidentes fatais no trânsito de Campinas são causados por motoristas, motociclistas e pedestres embriagados. Os dados são do Boletim Epidemiológico de Mortalidade por Acidentes de Trânsito e Caderno de Acidentalidade divulgado na última terça-feira (11).

Segundo o estudo, 56% dos casos com consumo de bebida alcoólica envolveram pessoas de 30 e 59 anos. A maior parte desses acidentes (75%) concentraram-se entre a sexta-feira e domingo e o horário com a maior incidência foi o noturno ou na madrugada (94%).

Entre as infrações de trânsito cometidas pelos condutores estão excesso de velocidade e desrespeito à sinalização. Por parte dos pedestres, estão desrespeito à faixa de pedestres, travessia de sinal vermelho e ou em local impróprio.

Em 2020, o álcool foi o segundo fator predominante em acidentes fatais na cidade, perdendo apenas para velocidade. Em terceiro lugar está o desrespeito à sinalização ou regras do trânsito. No entanto, no recorte de motociclistas e pedestres, o consumo de bebida alcoólica fica em primeiro lugar, de acordo com a Emdec.

Você viu?

Da amostra de 57 acidentes fatais com mortes até 30 dias após a ocorrência, foram analisados 98% (56 acidentes) e o restante (2%, 1 acidente) não dispunha de dados suficientes para realizar a análise.

VÍTIMAS FATAIS

O boletim também trouxe o aumento de 1,7% no número de vítimas fatais no trânsito de Campinas - sendo a maioria vítimas homens (84%). Dos ocupantes de motocicletas, houve redução de 25% e entre pedestres, aumento de 61,5%.

Esse aumento de óbitos entre pedestres está relacionado a pandemia de covid-19, devido ao aumento de velocidade dos veículos nas ruas da cidade - mais vazias por conta do isolamento social e da quarentena do coronavírus iniciada em março do ano passado. Dessas vítimas, 38% eram idosos acima de 72 anos.

Em relação às mortes de ocupantes de motocicletas, 29% tinham entre 18 e 23 anos. Além disso, 48% dos acidentes fatais ocorreram no período noturno, entre 18h e 24h.


VEÍCULOS ENVOLVIDOS

O boletim ainda mostrou que automóveis estiveram envolvidos em 54% dos acidentes fatais e os ônibus, 20%. Os ciclistas foram vitimados em 9,8% dos acidentes fatais. A maior parte desses ocupantes - um total de 60% - não utilizava cinto de segurança no momento do acidente.

Às segundas-feiras, quartas-feiras, quintas-feiras e domingos se concentraram 70% dos acidentes com vítimas fatais no município. No período noturno é quando aconteceram a maioria dos acidentes fatais: 48%. Os números absolutos não foram informados pela Emdec.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários