Campinas segue cronograma do estado para definir grupos de vacinação.
Carlos Bassan/Prefeitura de Campinas
Campinas segue cronograma do estado para definir grupos de vacinação.

A campanha de vacinação contra a Covid-19 começou em janeiro em Campinas. Até agora, 395.595 doses já foram aplicadas na cidade, sendo que 252.670 pessoas já receberam a primeira dose, e dessas 142.925 já estão com a imunização completa, sendo que já receberam a segunda dose.

Campinas, assim como as demais cidades do Estado, segue o cronograma do governo paulista, que se embasa nas regras do PNI (Programa Nacional de Imunização).

QUEM PODE AGENDAR A VACINA NA CIDADE?

- Pessoas com 60 anos ou mais
- Pessoas com comorbidades (doenças prévias), com 50 anos ou mais
- Pessoas com deficiência permanente grave que recebem o BPC (Benefício de Prestação Continuada) com 18 anos ou mais
- Trabalhadores da saúde com 18 anos ou mais
- Estudantes da área da saúde que fazem estágio em uma instituição de saúde, com 18 anos ou mais
- Pessoas com síndrome de Down com 18 anos ou mais
- Pacientes em terapia renal substitutiva e pacientes transplantados: coração pulmão, rim, fígado ou pâncreas, com 18 anos ou mais
- Gestantes e puérperas (quem teve filho nos últimos 45 dias) trabalhadoras da área da saúde
- gestantes e puérperas com comorbidades e com 18 anos ou mais.
- Profissionais de educação com 47 anos ou mais 

Vale lembrar que entre os trabalhadores da "área da Saúde" estão incluídas  todas as profissões que trabalham em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, sejam eles hospitais, clínicas de saúde humana, ambulatórios de saúde humana, laboratórios de análises, entre outros.

As farmácias estão contempladas como serviço de saúde. Exemplo de trabalhadores da saúde: recepcionistas de serviços de saúde, trabalhadores da limpeza e lavanderias de serviços de saúde, balconistas de farmácias e inclui drogarias, cozinheiros de serviços de saúde, etc.

QUAIS OS PRÓXIMOS GRUPOS?

Pelo cronograma do governo de SP, motoristas e cobradores de ônibus deveriam começar a imunização nesta terça-feira (18), no entanto, Campinas ainda não abriu agendamento para esse grupo.

Na sexta-feira (21) o calendário paulista indica a ampliação da faixa etária de pessoas com comorbidades, sendo que a partir da data, podem começar a receber a vacina pessoas com doenças prévias que tenham entre 45 e 49 anos.

Ainda não há data do início da vacinação para as próximas faixas etárias.   

Você viu?

COMO FAZER?

Para receber a vacina, é necessário fazer o agendamento no site https://vacina.campinas.sp.gov.br/ , ou pelo telefone 160. Quem tiver dificuldade pode procurar o Centro de Saúde mais próximo de sua casa.


QUAIS SÃO AS COMORBIDADES INCLUÍDAS NO GRUPO PRIORITÁRIO?

Diabetes mellitus - Qualquer indivíduo com diabetes

Pneumopatias crônicas graves - Indivíduos com pneumopatias graves incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave (uso recorrente de corticoides sistêmicos, internação prévia por crise asmática)

Hipertensão Arterial Resistente (HAR) - HAR= Quando a pressão arterial (PA) permanece acima das metas recomendadas com o uso de três ou mais anti-hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas preconizadas e toleradas, administradas com frequência, dosagem apropriada e comprovada adesão ou PA controlada em uso de quatro ou mais fármacos anti-hipertensivos

Hipertensão arterial estágio 3 - PA sistólica 180mmHg e/ou diastólica 110mmHg independente da presença de lesão em órgão-alvo (LOA) ou comorbidade

Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade - PA sistólica entre 140 e 179mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109mmHg na presença de lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade

Doenças cardiovasculares

Insuficiência cardíaca (IC) - IC com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York Heart Association

Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar - Cor-pulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária

Cardiopatia hipertensiva - Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-alvo)

Síndromes coronarianas - Síndromes coronarianas crônicas (Angina Pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós Infarto Agudo do Miocárdio, outras)

Valvopatias - Lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico (estenose ou insuficiência aórtica; estenose ou insuficiência mitral; estenose ou insuficiência pulmonar; estenose ou insuficiência tricúspide, e outras)

Miocardiopatias e Pericardiopatias -
Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; cardiopatia reumática

Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas - Aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos

Arritmias cardíacas - Arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia associada (fibrilação e flutter atriais; e outras)

Cardiopatias congênita no adulto - Cardiopatias congênitas com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento miocárdico.

Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados - Portadores de próteses valvares biológicas ou mecânicas; e dispositivos cardíacos implantados (marca-passos, cardio desfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência)

Doença cerebrovascular - Acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular

Doença renal crônica - Doença renal crônica estágio 3 ou mais (taxa de filtração glomerular < 60 ml/min/1,73 m2) e/ou síndrome nefrótica.

Imunossuprimidos - Indivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida; demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos 6 meses; neoplasias hematológicas; e outras doenças que causam imunossupressão (como síndrome de Cushing, lúpus eritematoso sistêmico, doença de Chron, imunodeficiência primária com
predominância de defeitos de anticorpos).

Hemoglobinopatias graves - Doença falciforme e talassemia maior; e outras doenças raras.

Obesidade mórbida - Índice de massa corpórea (IMC) 40

Síndrome de Down - Trissomia do cromossomo 21

Cirrose hepática - Cirrose hepática Child-Pugh A, B ou C

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários