Com umidade do ar em 22,1%, Campinas está novamente em Estado de Atenção
Reprodução: ACidade ON
Com umidade do ar em 22,1%, Campinas está novamente em Estado de Atenção

Você viu?

Campinas voltou a entrar em Estado de Atenção pela baixa umidade do ar nesta quinta-feira (20), segundo a Prefeitura. O município registrou umidade relativa do ar em 22,1% às 14h20 de hoje e o alerta inicial foi emitido pelo Departamento de Defesa Civil.

Isso ocorreu quando Estação Ciiagro/IAC Campinas Região Norte informou o índice de Umidade Relativa do Ar (URA) de 28,7% às 12h.

Quando a URA está entre 20 e 30% é declarado o Estado de Atenção, o que deflagra informe da Defesa Civil para a comunidade e são tomadas medidas preventivas pelos órgãos municipais. Desde o início de maio, o órgão realiza a Operação Estiagem, para monitorar e prevenir danos causados pela estação mais seca do ano.

Quando o setor de monitoramento da Defesa Civil do município emite o comunicado de Estado de Atenção, por exemplo, há a suspensão de aulas de Educação Física nas escolas e são ampliadas as vistorias preventivas para queimadas.

A baixa umidade do ar causa danos para a saúde, aumentando o risco e o agravamento de problemas respiratórios e podendo levar à desidratação e sobrecarga no organismo de pessoas com doenças cardíacas. Também prejudica o meio ambiente, com mais ocorrências de incêndios em áreas de vegetação.

CUIDADOS

Entre as várias recomendações, a principal é aumentar a hidratação corporal, ingerindo água à vontade. É preciso ter atenção especial para crianças e idosos. A desidratação pode levar à confusão mental, entre outras situações de risco.

A população deve evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 15h e sempre procurar locais sombreados.

Outra alternativa é umidificar o ambiente com uso de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, irrigação de jardins etc. Sempre que possível, permanecer em locais protegidos do sol e arborizados.

A Defesa Civil também alerta para que não sejam realizadas queimadas nem fogueiras. Além de crime ambiental, o fogo em áreas de vegetação coloca em risco a vida e a saúde das pessoas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários