Pandemia: mercado de flores da Ceasa Campinas perde 32,1% de vendedores
Reprodução: ACidade ON
Pandemia: mercado de flores da Ceasa Campinas perde 32,1% de vendedores

A crise econômica provocada pela pandemia de covid-19 também atingiu o mercado de flores da Ceasa (Centrais de Abastecimento S. A.), de Campinas. Um total de 32,1% dos vendedores que trabalhavam principalmente com produtos para eventos devolveram os pontos, de acordo com levantamento do setor.

De 504 pontos do local, 162 estão fechados atualmente. Isso ocorreu principalmente porque a Ceasa ficou fechada por 45 dias no começo da pandemia, quando Campinas adotou a quarentena de covid-19 e o isolamento social para evitar a transmissão do vírus.

Além disso, as vendas no atacado - aquelas em grandes quantidades - diminuíram, dando a vez para o varejo. "Essa tendência nova trouxe um consumo de plantas para áreas internas. As pessoas estão muito em casa e preferem alegrar o ambiente", disse o vendedor Nilson Longhi.

Você viu?

Por conta deste cenário, foi preciso mudar um pouco o perfil de vendas. "Eles querem pouca coisa e uma diferente da outra. Antes, vendíamos dez vasos da mesma planta. Hoje são menos vasos de plantas diferentes", explicou. Ele afirmou ainda que houve queda de 40% nas vendas por causa dessa mudança.

QUEDA NO MOVIMENTO

O mercado de flores chegou ainda a ter queda de 70% no movimento em alguns meses de 2020. "Nessa parada, houve uma debandada. Porque ficou difícil de tocar. Tivemos uma grande perda que foi a flor de corte. Porque não temos eventos. Então o pessoal teve um grande prejuízo", disse o diretor da Ceasa, Valter Greve,

Normalmente, antes da pandemia, o mercado de flores chegava a movimentar 43 mil toneladas de produtos, o que representava mais de R$ 131 milhões na circulação econômica de Campinas. Em 2020, estima-se que 300 mil pessoas deixaram de circular no local.


RECUPERAÇÃO

Apesar do período difícil, as vendas no mercado de flores, de forma geral, já demonstraram recuperação. Nos últimos três meses, houve crescimento de 15%. E, para atrair novos vendedores para os espaços vazios, a Ceasa vai abrir uma nova licitação.

"Podem participar pessoas físicas ou jurídicas. E a curto prazo vamos publicar este edital. Também quero convidar as pessoas à conhecerem o mercado, porque é um lugar agradável. Temos segurança, espaçamento, uso de máscara e álcool em gel", disse o diretor da Ceasa. Para mais informações, acesse: www.ceasacampinas.com.br  (Com informações da EPTV Campinas).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários