Emprego formal em Campinas volta a registrar expansão
Reprodução: ACidade ON
Emprego formal em Campinas volta a registrar expansão


Levantamento da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas) apontou uma expansão do emprego formal em Campinas em maio desse ano. Segundo a apuração, em Campinas foram gerados em maio 1.826 postos de trabalho e, no acumulado do ano, foram gerados 9.337 postos, 25,50% acima do acumulado entre janeiro e abril de 2021. 

Já, na RMC (Região Metropolitana de Campinas) apontou que foram gerados em maio de 2021, 4.919 postos, e no acumulado do ano foram gerados 30.885 postos, 19,50% acima, se comparado ao acumulado de janeiro a abril deste ano. 

APURAÇÃO

Na avaliação dos dados do Emprego Formal em Campinas e Região, sob o efeito da pandemia da covid-19, é possível ver que maio de 2021, em Campinas, (+1.826) é o maior desde 2013, assim como no período de janeiro a maio de 2021 (+9.337).  

Na RMC o crescimento se repete: (+4.919) é o maior desde 2013, assim como no período janeiro a maio de 2021 (+30.885).  

Você viu?

O QUE SIGNIFICA

Segundo o economista da associação, Laerte Martins, esses dados de maio de 2021 indicam uma perspectiva de recuperação no nível de emprego, principalmente para Campinas, que evoluiu em 25,50% sobre o acumulado do ano, e para a RMC, que evoluiu em 19,50% no mesmo período.  

Esse resultado mostra que a vacinação da população, contra o covid-19, já começa a produzir efeitos positivos para uma melhora na geração de emprego, e na movimentação das atividades econômicas, com a redução no contingenciamento, nas áreas do comércio e eerviços, que já aconteceram, especificamente em maio e junho de 2021.  

NO BRASIL

Em nível nacional, segundo o Novo Caged, o Emprego Formal de maio de 2021 apresentou um saldo de 280.866 postos de trabalho, cerca de 132,08% sobre abril de 2021.  



No acumulado do ano de 2021 (janeiro a maio) foram registradas as gerações de 1.233.372 Empregos Formais com Carteira Assinada.

"Destaque para os serviços, o comércio e a indústria, que mais contrataram, e para a agropecuária e a construção civil, que menos admitiram, porém, todos evoluíram positivamente", afirmou o economista.

Os segmentos que mais geraram postos de trabalho foram:

Serviços -  110.956

Construção Civil - 22.611

Indústria - 44.146

Comércio - 60.480

Agropecuária - 42.473

Total - 280.666

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários