Justiça torna réu prefeito de Americana por suspeita de caixa 2
Reprodução: ACidade ON
Justiça torna réu prefeito de Americana por suspeita de caixa 2

A Justiça aceitou uma denúncia de improbidade administrativa feita pelo Ministério Público contra o prefeito de Americana, Chico Sardelli (PV), e tornou o chefe do Executivo réu por suspeita de caixa 2. 

Segundo o MP, o político teria se beneficiado ilegalmente de recursos recebidos do Grupo CCR (que tem concessões de rodovias no Estado de São Paulo), em 2013, quando ainda era deputado estadual pelo PV . A decisão foi publicada na última segunda-feira (12), pelo juiz Emílio Migliano Neto, da 7ª Vara da Fazenda Pública. Cabe recurso. 

O envolvimento de Sardelli foi citado por Maurício Vasconcelos, ex-presidente da CCR Autoban, concessionária que administra o sistema Anhanguera/Bandeirantes e suas praças de pedágio. A denúncia foi confirmada ainda por Renato Valle, ex-presidente da Holding CCR. A acusação do MP tem como base delações premiadas de ex-executivos do grupo.  

Você viu?

Segundo a delação,  foram pagos R$ 100 mil, entregues na sede da concessionária, em Jundiaí, entre maio e julho de 2013. O valor seria um "apoio" para pagamento de despesas de campanha de Sardelli.

Em nota, o prefeito de Americana disse que está à disposição da Justiça, e que nunca recebeu recursos de forma irregular.

"À época (citada na ação) eu sequer era candidato e os autores da ação vão chegar à mesma conclusão que a Justiça Eleitoral sempre chegou, aprovando todas as minhas contas eleitorais", disse Sardelli. 

Já o Grupo CCR informou que, por determinação legal, todas as informações relativas a acordos firmados com as autoridades estão sob sigilo. "A companhia reitera seu compromisso com a integridade e ressalta que tem cumprido todas as determinações legais assumidas", diz a nota.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários