Polícia investiga negligência em contratação de falso biomédico em Amparo
Reprodução: ACidade ON
Polícia investiga negligência em contratação de falso biomédico em Amparo

A Polícia Civil vai colher depoimentos de testemunhas para investigar uma possível negligência na contratação do homem de 26 anos que se passava por biomédico em Amparo. De acordo com a polícia, a investigação também vai verificar a participação de outras pessoas no crime e de quem João Pedro Benedito Berloni comprou os documentos falsos.

O falso biomédico foi preso na noite de terça-feira (13) por exercício ilegal de profissão em uma laboratório particular da cidade. Ainda de acordo com a polícia, Berloni era responsável por emitir laudos para a Santa Casa de Amparo, uma vez que o laboratório onde trabalhava presta serviço para o hospital.

Procurado, o hospital informou que Berloni nunca trabalhou para a unidade e que já solicitou "ao biomédico responsável e proprietário do laboratório o desligamento do falso biomédico" (leia mais abaixo).

Após a prisão em flagrante, a perícia também está analisando o diploma e o certificado apresentados pelo homem. À Polícia Militar, ele havia admitido que comprou a documentação para atuar como biomédico.

"Ele fala que começou em trabalhar em laboratórios particulares no ano de 2012. E neste locais aprendeu o ofício, segundo a concepção dele. No interrogatório, ele afirmou que obteve no final de 2020 adquiriu um diploma falso pela internet e pagou a quantia de R$ 600 por esse certificado", dise o delegado Richard Alain Lolli, responsável pelo caso.

O FLAGRANTE

Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública) de São Paulo, a prisão em flagrante ocorreu após um representante do Conselho Regional de Biomedicina informar que durante uma fiscalização em um laboratório do município tinha detectado que um dos funcionários não tinha registro na categoria.

Esse representante também teria constatado que o diploma dele seria falso. Após a denúncia, os agentes foram até o local, onde encontraram o suspeito. Ele foi conduzido até a residência dele, onde o diploma e outros documentos foram apreendidos.

O caso foi registrado como porte de documento falso e exercício ilegal de profissão ou atividade. O homem foi encaminhado para audiência de custódia.

Você viu?

Homem foi preso na terça-feira (Foto: Divulgação)

SANTA CASA

A Santa Cansa informou em nota oficial que "o laboratório em foco é prestador de serviço para o hospital" e que possui "registro no Conselho Regional de Biomedicina - 1a. Região".

Além disso, o hospital disse que o acusado "nunca trabalhou como biomédico na entidade e nem mesmo para o próprio laboratório, atuando somente como técnico laboratorial e em serviços administrativos, não emitindo nenhuma categoria de laudos em exames".

Além disso, o hospital repudiou "veementemente tal ação inconsequente do acusado, reafirmando seu compromisso com o cuidado e a saúde, salvando vidas todos os dias".

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários