Prefeitura amplia prazo e obra do BRT de Campinas deve terminar em 2022
Reprodução: ACidade ON
Prefeitura amplia prazo e obra do BRT de Campinas deve terminar em 2022

 A Prefeitura de Campinas ampliou o prazo final da conclusão da obra do BRT (Bus Rapid Transit) de Campinas, que agora levará mais 12 meses para ser concluída. A informação é da secretaria de Infraestrutura, que publicou a ampliação no Diário Oficial do município desta quinta-feira (22). 

A construção dos corredores começou em 2017 e a última previsão da prefeitura,era de concluir a construção ainda no primeiro semestre de 2021. Com a ampliação, o novo prazo para término dessas estruturas é julho de 2022. 

Segundo a Prefeitura, a finalização da obra do BRT teria sido impactada pela construção de dois viadutos no Corredor Campo Grande. Um viaduto ficará sobre a Avenida Transamazônica e outro, sobre a Rodovia dos Bandeirantes. 

"No momento, a prorrogação é apenas um aditivo de prazo, sem impacto orçamentário. O principal motivo para isso é a maior dificuldade para aprovações em órgãos reguladores. Devido à pandemia de covid-19, essas têm sido mais complexas e demoradas", informou a nota da secretaria. 

O QUE FALTA 

Até esta quinta, 96% das obras previstas no cronograma dos três corredores - Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral - foram concluídas ou estão em fase de acabamento.

Apesar disso, a prefeitura afirma que o sistema está 100% operacional - mas com ônibus tradicionais do transporte público urbano. 

O sistema do BRT foi proposto para beneficiar 450 mil pessoas em 36,6 km de vias a partir de um investimento de R$ 450 milhões. Ao todo, são 36 estações, sete terminais e 18 pontes e viadutos, incluindo o primeiro viaduto estaiado da cidade. 

HISTÓRICO 

Em abril deste ano, o prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), já havia afirmado que a entrega do BRT iria sofrer um novo atraso. Ele afirmou na época que a conclusão da obra seria, de forma 100%, somente em 2022. 

No entanto, em fevereiro, o secretário de Infraestrutura de Campinas, Carlos José Barreiro, havia dado até o meio deste ano como prazo para a conclusão do sistema (leia mais aqui)

COMO SERÁ

Quando estiver em operação total, os ônibus circularão em faixas exclusivas, separadas do trânsito comum, feitas em pavimento de concreto. Os usuários farão embarque e desembarque pelo lado esquerdo, com acessibilidade, no nível dos ônibus.  

Os veículos serão articulados, com ar-condicionado. A tarifa será paga antes de embarcar. 

As linhas convencionais (alimentadoras) funcionarão integradas às do BRT. São três corredores: Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral, totalizando 37 estações, 6 terminais e 18 pontes/viadutos. 

O Corredor Campo Grande começa no Terminal Mercado, passa próximo ao Terminal Rodoviário Ramos de Azevedo, depois segue pelo leito desativado do antigo VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) e segue pela Avenida John Boyd Dunlop a partir do Jardim Aurélia. Ele vai até o Terminal Itajaí, totalizando 17,9 km. 

O Corredor Ouro Verde parte do Terminal Central e percorre as avenidas João Jorge, Amoreiras, Piracicaba, Ruy Rodriguez e Camucim até o Terminal Vida Nova, totalizando 14,6 km. 


O Corredor Perimetral liga os corredores Campo Grande e Ouro Verde. Os 4,1 km do Perimetral passam pelo leito do VLT, entre Vila Aurocan e Campos Elíseos.

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários