Pesquisa em parceria com o Sirius, de Campinas, quer inibir reprodução de covid
Reprodução: ACidade ON
Pesquisa em parceria com o Sirius, de Campinas, quer inibir reprodução de covid

Um estudo feito pela USP (Universidade de São Paulo) de São Carlos em parceria com o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron, onde fica instalado o acelerador de partículas Sirius, em Campinas, quer inibir a reprodução de covid-19. A proposta é entender como é feita a replicação do vírus para, então, impedi-la.

Esse processo depende de várias etapas. Em uma delas, os cientistas querem agir em busca de estratégias anti-virais. Um dos métodos é usar uma proteína do próprio vírus para frear a multiplicação dele.

"A gente produz proteínas que são do vírus, indispensáveis para o metabolismo dele e para que ele faça seu ciclo. E estudamos, com base em bibliotecas de compostos que temos disponíveis, quais moléculas que podem ser fármacos-aprovados, ou pode ser para reposicionamento ou para moléculas novas. O intuito é ela parar de fazer sua função e, dessa forma, impedir o vírus de completar o ciclo" , disse o pesquisador da USP André Schutzer.

O estudo está sendo feito desde março de 2020, quando começou a pandemia de coronavírus. Em Campinas, o Sirius é usado na pesquisa para identificar os componentes estudados, em uma espécie de "raio-x" do processo.

"O Sirius é um acelerador de elétrons e, ao chegar próximo da velocidade da luz, esses elétrons conseguem emitir uma luz, chamada de luz-síncroton. Essa luz ela pode ser então utilizada para diversos experimentos na área da física ou da engenharia de materiais, que tentam caracterizar materiais diversos", explicou Schutzer.

ENSAIOS BIOLÓGICOS

Em São Carlos, entre as técnicas utilizadas estão os ensaios biológicos - para identificar quais são as moléculas que se ligam. "Nós temos hoje cerca de 10 mil moléculas que já testamos para essas proteínas. Identificamos algumas - cerca de 20 - que são capazes de inibir essas proteínas", disse o pesquisador.

A pesquisa foi publicada recentemente em uma edição especial do Journal Of Molecular Biology, publicação científica dos Estados Unidos.   

"Temos como ajudar o organismo a combater a infecção viral. Uma delas é bloquear a reprodução do vírus. O seu organismo vai ter menos vírus dentro dele para ter que lutar. E essa é a estratégia que estamos procurando aqui no laboratório", disse o professor sênior do Instituto de Física da USP São Carlos, Glaucius Oliva. (Com informações da EPTV)

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários