Campinas amplia vacinação para jovens de 12 a 17 anos de grupo de risco
Reprodução: ACidade ON
Campinas amplia vacinação para jovens de 12 a 17 anos de grupo de risco

A secretaria de Saúde de Campinas vai ampliar a partir de segunda-feira (23), às 17h, o público da vacinação para covid-19 a partir da próxima segunda-feira (23).

Foi anunciado hoje (20) que será aberto o agendamento para adolescentes entre 12 e 17 anos com deficiência, comorbidades, puérperas e gestantes. Serão disponibilizadas mais 7,7 mil vagas.

Os adolescentes estão sendo vacinados nos centros de saúde Campos Elíseos (Tancredão), São José, Jardim Fernanda, São Marcos, Vista Alegre, Parque Itajaí, Pedro de Aquino Neto (Balão do Laranja), Costa e Silva, Conceição, Paranapanema Sousas, Taquaral, Vila Ipê e Vila Padre Anchieta.

A escolha do local, dia e horário pode ser feita no site https://vacina.campinas.sp.gov.br ou pelo telefone 160. Quem tiver dificuldades deve procurar o centro de saúde mais próximo.

É importante que as pessoas cheguem, no máximo, com 10 minutos de antecedência para evitar aglomerações.

ACOMPANHADOS

No dia da vacinação, os menores de idade deverão estar acompanhados do pai, mãe ou responsável legal. Se estiverem sozinhos, precisarão apresentar um termo de consentimento assinado por eles. O modelo será disponibilizado no site https://vacina.campinas.sp.gov.br.

Os adolescentes até 17 anos serão imunizados com a vacina da Pfizer, única aprovada pela Anvisa para a faixa etária.

Os documentos necessários para o dia da vacinação, assim como a lista de comorbidades e deficiências, devem ser consultados no https://vacina.campinas.sp.gov.br/.

18 ANOS OU MAIS

O agendamento das vacinas contra a covid-19 para as pessoas a partir de 18 anos continua suspenso. A Secretaria de Saúde aguarda o envio de mais doses para reabrir a agenda.

PESQUISA DE VARIANTES


Hoje a Saúde divulgou ainda que Campinas integra um estudo sobre a efetividade da vacina Coronavac, do Instituto Butantan, em diferentes grupos etários e em relação às variantes do vírus da covid-19. 

O projeto vai acontecer até fevereiro de 2022 e será realizado também em Araraquara. A escolha das cidades, segundo a coordenadora do estudo em Campinas e diretora do Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde), Andrea von Zuben, aconteceu em razão de os dois municípios terem vigilâncias fortes e eficientes.

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários