Defesa Civil de Hortolândia permite retirada de objetos de prédio interditado
Reprodução: ACidade ON
Defesa Civil de Hortolândia permite retirada de objetos de prédio interditado

A Defesa Civil de Hortolândia permitiu a retirada de objetos e móveis dos apartamentos do bloco 5 do Condomínio Pitangueiras, interditado por conta de rachaduras desde terça-feira (17). A decisão foi tomada nesta sexta-feira (20) e a retirada deve ser feita de forma agendada.

Hoje, ocorreu uma reunião com representantes dos moradores e prefeitura. Para retirar os pertences, os moradores deverão fazer um agendamento com a síndica do condomínio, no bairro Vila São Francisco.

Além do bloco 5, o bloco 10 também está interditado - este há dois meses. Na avaliação da Defesa Civil, as famílias estão em situação de risco por causa das rachaduras e trincas que são visíveis até do lado de fora do edifício.

Por conta da situação, os moradores do bloco 10 chegaram a bancar reformas com dinheiro próprio e estão na Justiça exigindo ressarcimento da construtora.

Segundo eles, a construtora Rossi disse que as rachaduras apareceram depois de uma obra de paisagismo e de tubulação de gás. Hoje, a empresa se manifestou oficialmente sobre o caso (leia mais abaixo).

"A gente ainda não tem muita informação. Estamos sobrevivendo, esperando as coisas acontecer. Nunca imaginei acontecer uma coisa dessas", disse Eudes Silva Santos. Ela levou a família para a casa da sogra por conta da interdição.

"O condomínio já entrou com pedido liminar e estamos aguardando a decisão do juiz, ou para que o condomínio arrume os problemas de construção - para liberar as torres 10 e 5 - ou para que a própria Rossi se responsabilize tendo em vista que a construção é dela", disse ontem (19) a advogada do condomínio, Alessandra Bravo. 

Rachadura em prédio de Hortolândia (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)
ROSSI

Hoje, pela primeira vez desde a interdição do bloco 5, a construtora Rossi, responsável pelo empreendimento, se posicionou.  

Você viu?

Em nota, a Rossi informou que a primeira atitude foi mobilizar equipes de engenheiros e especialistas em estrutura, mas disse também que o prazo de garantia estrutural dos blocos encerrou há cinco anos.

Apesar do fim do prazo de garantia, a Rossi informou que vai disponibilizar as equipes para atuar junto aos moradores.

Rachadura em apartamento (Foto: Pedro Torres/EPTV Campinas)




"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários