Mulher com covid-19 invade UTI da Maternidade para ver filho internado
Reprodução: ACidade ON
Mulher com covid-19 invade UTI da Maternidade para ver filho internado


Uma mulher diagnosticada com covid-19 invadiu a UTI Neonatal da Maternidade de Campinas na noite de ontem (22) para tentar ver o filho, que nasceu há nove dias e está internado na unidade. A Polícia Militar precisou ser acionada.

Segundo o hospital, a mulher teve o filho na semana passada, mas como o bebê nasceu prematuro, com 34 semanas, precisou ficar na UTI Neonatal.

A criança não pegou a doença, mas a mãe, que teve alta, estava proibida de fazer visitas até amanhã (24), quando acaba o período de quarentena para evitar contaminação da doença . No entanto, a mulher conseguiu entrar no espaço mesmo sem permissão. Por causa da confusão, a Polícia Militar foi acionada. 

Segundo o hospital, a mulher se aproveitou do cadastro do pai da criança para entrar na unidade, desrespeitou a abordagem do segurança e correu pelas escadas da unidade até chegar ao andar da UTI Neonatal e entrar em uma das salas, onde o filho está em uma incubadora.

Em nota, a Maternidade garantiu que "em nenhum momento houve risco à integridade, à segurança e à saúde de mães, puérperas ou bebês internados" (veja a posição abaixo). 

De acordo com o hospital, a mulher permaneceu de máscara a todo tempo, e nenhum momento chegou a ficar sozinha no hospital. Ela também não se aproximou de outros bebês 

Você viu?

O QUE DIZ O HOSPITAL

Em nota, a Maternidade explicou que a mulher, acometida pela covid-19, deu à luz a um bebê com 34 semanas de gestação, há 9 dias. O bebê foi testado negativamente para covid-19 por duas vezes desde o seu nascimento, mas permanece internado na UTI Neonatal apenas pela condição de prematuridade. 

"Por apresentar boas condições de saúde, a puérpera recebeu alta e foi comunicada pelo hospital que, de acordo com os protocolos, não poderia ter contato ou visitar a criança até que se cumprisse o período da quarentena a fim de se evitar a transmissão da doença, o que aconteceria na próxima terça-feira, dia 24. Apenas o pai do bebê estava autorizado a visitá-lo nesse período", explicou.

"Após serem comunicadas da invasão, as equipes médicas e de segurança foram acionadas e realizaram inúmeras tentativas para acalmá-la e para convencê-la a deixar o hospital. Diante das negativas da puérpera, a Polícia Militar foi acionada e a retirou das instalações por volta das 18h30, após o devido registro da ocorrência policial", completou.



Na nota, o hospital afirma que em nenhum momento houve risco à integridade, à segurança e à saúde de mães, puérperas ou bebês internados, e que no tempo em que esteve na UTI Neonatal, a puérpera permaneceu de máscara de proteção e ao lado da incubadora de seu próprio filho, não tendo tido qualquer contato com outras crianças internadas.

"Apesar de serem considerados muitos baixas as possibilidades de contaminação da forma como os fatos ocorreram, foi realizada uma higienização completa do local. A normalidade à rotina do hospital imediatamente após a puérpera ser retirada das instalações pela Polícia Militar", completou o hospital.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários