Vacinação em Campinas.
Eduardo Lopes/PMC
Vacinação em Campinas.

A secretaria de Saúde de Campinas abriu nesta segunda-feira (20), às 17h, o agendamento para dose adicional da vacina contra a covid-19 para pessoas com alto grau de imunossupressão com 18 anos ou mais, que tenham recebido a segunda dose há pelo menos 28 dias.

Pessoas a partir de 80 anos que tenham completado a imunização há pelo menos seis meses também poderão realizar o agendamento hoje.

Além disso, será reaberto o agendamento para maiores de 18 anos e adolescentes entre 12 e 17 anos . Em Campinas, os adolescentes continuarão recebendo a vacina contra a covid-19 (leia mais abaixo). De acordo com a Saúde, serão disponibilizadas 24,2 mil vagas.

BALANÇO

Segundo último balanço divulgado na sexta-feira (17) pela Prefeitura de Campinas, a cidade havia aplicado 437 doses de reforço (3ª dose) em idosos.

O reforço na vacinação começou em pessoas acamadas e moradores de ILPIs (Instituições de Longa Permanência de Idosos). Neste público, a equipe da Saúde foi até os locais para realizar a vacinação. Já o último agendamento, para maiores de 85 anos, foi aberto na segunda-feira passada (13).

A dose extra contempla idosos que receberam a segunda dose há pelo menos seis meses, ou seja, que receberam a última dose em março. Ao todo, segundo o levantamento da Saúde, 4.157 idosos com mais de 60 anos estão aptos atualmente para receber a dose adicional.

Segundo o governo paulista, a vacinação deverá contemplar todos os idosos com mais de 60 anos e imunossuprimidos até o dia 10 de outubro.

VARIANTE DELTA

O objetivo principal da dose de reforço, segundo o Estado, é garantir proteção adicional à população mais vulnerável a variantes mais contagiosas do coronavírus, como a delta. No dia 31 de agosto, o governo estadual confirma variante delta em Campinas.

VACINA ADOLESCENTES

Na última semana, a secretaria de Saúde de Campinas manteve a imunização de pessoas com idade entre 12 e 17 anos após uma polêmica envolvendo o Ministério da Saúde.



O órgão federal voltou atrás e passou a não recomendar a vacinação de adolescentes sem comorbidades dos 12 aos 17 anos contra a covid-19. Após esse posicionamento, o governo estadual disse que manteria a vacinação neste público. A decisão foi seguida por Campinas.

Na quinta-feira (16), o prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), disse que a postura do Ministério da Saúde gerou dúvidas na população.

"Gera dúvidas, porque há uma posição central do ministério dizendo para não vacinar e um entendimento do Estado para que a vacinação seja feita sim. A cidade de Campinas vai seguir o governo paulista e eu, como médico, sou a favor de vacinar acima dos 12 anos", opinou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários