Polícia Civil investiga caso de crueldade animal em Valinhos
Reprodução: ACidade ON
Polícia Civil investiga caso de crueldade animal em Valinhos

A Polícia Civil de Valinhos iniciou na tarde desta segunda-feira (4) uma investigação sobre o caso de crueldade animal em um lar temporário para cachorros depois que sete cães comeram salsichas recheadas com anzóis.

O boletim de ocorrência que foi registrado na delegacia fala em "crime contra o meio ambiente mediante prática de ato de abuso a animais" , que prevê pena de dois a cinco anos de prisão e multa que pode chegar a mais de R$ 300 mil.

De acordo com os responsáveis pela apuração, não há ainda qualquer indício que aponte o autor da agressão, mas os investigadores foram até o local onde os cachorros vivem para conversar com os vizinhos sobre qualquer suspeita.

ANIMAIS EM RISCO

Dos setes cães internados após comerem as salsichas com anzóis, quatro passaram por cirurgia e dois não precisaram do procedimento e eliminariam os objetos nas fezes. Uma cadela de 13 anos, porém, ainda passaria por avaliações.

Segundo Christiano Yamasaki, um dos veterinários responsáveis pelo atendimento dos animais, todos seguem sob risco, mesmo que os anzóis sejam retirados ou eliminados dos estômagos e intestinos. Isso porque a recuperação é complexa e há chance de infecções secundárias.

CRUELDADE

Ainda de acordo com Yamasaki, o objetivo do criminoso era promover a morte lenta dos animais. "Sou médico veterinário há pelo menos 20 anos e nunca vi alguém que tivesse essa disponibilidade. Era para promover morte lenta, ficar judiando dos cães até que eles chegassem ao óbito", disse Christiano.

"A gente faz a contagem de acordo com as imagens de radiografia, mas o artefato é tão pequeno que a gente não consegue ter certeza. Então, a gente vai ter que manter esses cães aqui. Eles vão ficar em avaliação por um tempo para ter certeza que todos os anzóis foram eliminados mesmo. Esse é o grande problema que nós temos", informou o veterinário. 

alt
Raio-x mostra os anzóis alojados dentro dos animais (Foto: Divulgação)

O CASO

Segundo Dulce Miragaia, dona do espaço que atende os cachorros, os animais saíram na manhã de domingo (3) para dar uma volta no quintal da propriedade, que tem 4 mil metros quadrados, quando comeram as salsichas que estavam espalhadas em dois pontos do terreno. De acordo com ela, 90% dos animais que estão no local são resgatados da rua.

"Eu percebi que tinham alguns cachorros pegando alguma coisa no chão que eu não sabia o que era. Quando vi que eram pedaços de salsicha, achei, a princípio, que estavam envenenadas", disse Dulce.

A proprietária informou ainda que alguns animais já estavam ingerindo o alimento. ''Eu logo chamei o pessoal que faz raio-x móvel. Uma veterinária veio aqui e fizemos os exames em 13 cachorros para ver quem realmente havia comido as salsichas'', complementou. Depois disso, ela levou os sete cães que ingeriram os alimentos para um atendimento mais completo. 

Leia Também

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários