Ceamo ajuda mulheres vítimas da violência. (Foto: Divulgação/Prefeitura)


O Ceamo (Centro de Referência e Apoio à Mulher) registrou alta de 66% no número de atendimento a mulheres vítimas de violência doméstica, em Campinas, no terceiro trimestre deste ano em relação ao trimestre anterior. O número foi divulgado pela Prefeitura de Campinas.

Ao todo, foram registrados 396 casos de violência entre julho, agosto e setembro, em comparação aos 238 registros entre abril, maio e junho. Nos três primeiros meses deste ano, a procura foi 248 mulheres.

Segundo a secretaria municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas, Vandecleya Moro, o aumento ocorreu justamente após a flexibilização da pandemia na cidade.

"A gente observa um aumento gradativo após a flexibilização da pandemia. Tivemos uma curva bem alta em julho, que se associa também ao começo das tratativas que tivemos com a Delegacia da Mulher, que está apoiando no encaminhamento dos casos para o centro", disse.

Segundo o centro, muitos dos atendimentos são de casos extremos e em grande parte de violência física. A unidade atende mulheres que são encaminhadas diretamente pelas instituições de saúde e pela delegacia da mulher.

BUSCA POR AJUDA

Para a secretaria, a busca por uma política de proteção da mulher precisa ser integrada com a sociedade civil. Ela reforçou que a divulgação de centros de apoio é importante, mas para convencer uma mulher que sofreu violência doméstica a realizar uma denúncia ou procurar por apoio ainda é uma tarefa difícil.

"É preciso estar atento aos detalhes. Muitas vezes pode ser alguém conhecida, que está ali do nosso lado, e que está dando sinais o tempo todo", disse. "Precisamos praticar essa sensibilidade, e saber que pra que essa mulher saia desse ciclo de violência, ela precisa de ajuda. É importante elas saberem que tem apoio de todos os lados", acrescentou.

REDE DE PROTEÇÃO

Em agosto deste ano, a Prefeitura criou a Rede Municipal de Proteção e Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. Segundo Vandecleya, há um esforço de coordenação para garantir a proteção aos direitos de mulheres, e evitar casos de agressões.

"Nós já estamos trocando e nos aproximando da Guarda Municipal, da Polícia Militar e de outros grupos independentes de mulheres da cidade que podem contribuir com a proteção e o apoio à essas vítimas", relatou.

O QUE É E COMO PROCURAR  

O Ceamo oferece serviço de acolhimento a mulheres vítimas de violência doméstica na cidade. O serviço soma 19 anos de atuação atendendo mulheres vítimas de violência domésticas, apoiada pela Lei Maria da Penha.

Configura violência doméstica e familiar contra a mulher qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e a dano moral ou patrimonial.

Leia Também



O atendimento no centro é realizado por profissionais para acolher, atender e prestar apoio jurídico, social e psicológico à mulher em situação de violência doméstica. Seja de forma individual, familiar ou em grupo.

A unidade do Ceamo está localizada na Avenida Francisco Glicério, 1269, e fica disponível para atendimento público pelo telefone 0800-777-1050.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários