Protótipo desenvolvido pelos alunos (Foto: Divulgação)
Protótipo desenvolvido pelos alunos (Foto: Divulgação)

Leia Também

Alunos de Campinas desenvolveram um protótipo para reforçar a segurança de possíveis vítimas de agressão ou assaltos. O projeto é um dos semifinalistas da 8ª edição do Prêmio Respostas para o Amanhã, realizado pelo Cenpec e pela Samsung.

O grupo, composto por quatro estudantes do 3º ano de eletrônica no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, em Campinas, criou um dispositivo com sistema de alarme que emite sinais sonoros e de luz capazes de afastar possíveis agressores.

O projeto ainda está em etapa de definição do design e pode ser uma pulseira ou um chaveiro. Segundo o professor de automação eletrônica e orientador do grupo, Edson Duarte, o s alunos decidiram criar o dispositivo como uma alternativa para a proteção de pessoas mais vulneráveis a esses ataques, como mulheres e membros da comunidade LGBTQIA+.

"O problema foi identificado quando os alunos observaram uma sensação de insegurança em trajetos de seu cotidiano, como do ponto de ônibus até suas casas. Foram realizadas conversas e pesquisas junto aos professores de sociologia do instituto e os estudantes concluíram que o cenário ideal para os agressores são ambientes escuros, quietos e sem alarde, e essas agressões podem ser interrompidas ou evitadas com sons, luzes e outros recursos que atraem a atenção de mais pessoas", explica o professor.

COMO FUNCIONA

O protótipo tem bateria recarregável e emite um alarme com flashes de led e sons incessantes quando acionado.

No futuro, os alunos ainda pretendem adicionar outras funcionalidades no dispositivo, como a possibilidade de enviar a localização para o GPS de um celular previamente cadastrado no sistema.

O objetivo é que as vítimas possam informar seu paradeiro a pessoas de confiança em possíveis situações de perigo.
"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários