Campinas tem menor taxa de transmissão da Covid-19 na pandemia.
Divulgação/Prefeitura de Campinas
Campinas tem menor taxa de transmissão da Covid-19 na pandemia.

Campinas atingiu em outubro a menor taxa de transmissão da covid-19 desde o início da pandemia: 0.6. Os dados coletados pelo Observatório Covid-19 BR consideram os índices na cidade desde abril do ano passado.  

A taxa de transmissão indica para quantas pessoas, em média, cada infectado transmite a doença. Quando está em 1, por exemplo, significa que uma pessoa com o vírus transmite para outra. Abaixo disso, aponta recuo de novos casos.  

No início do registro de infectados no município, em abril do ano passado, a taxa era de 1, variou para 1.8 em maio e chegou a 1.4 em junho. Depois, em julho, Campinas atingiu o recorde de transmissão do vírus: 2.4. 

Neste ano, o recorde foi notado em março, com 1.16. Nos meses seguintes, o dado variou entre 0,98 e 1.07 entre abril e junho. Desde então, a queda se acentuou e saiu de 0.9 em julho até chegar a 0.6 atualmente (veja abaixo). 

O cálculo é feito por um grupo de matemáticos de instituições, como a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e a USP (Universidade de São Paulo). A conta leva em consideração o número de casos diários, tanto os graves como leves, e os óbitos de coronavírus. 

CONTROLE A VACINAÇÃO 

Leia Também

"O índice menor que 1 representa que a pandemia está decrescente. Ou seja, estamos em uma fase em que a pandemia está caindo. O índice de 0,7 indica que uma pessoa transmite para menos de 1 pessoa. Isso é um ótimo sinal para a cidade, significa que entramos no controle da pandemia", disse a diretora do Devisa (Departamento de Vigilência em Saúde) de Campinas, Andreia von Zuben. 

Segundo ela, são muitos os motivos que explicam essa redução na transmissão da covid-19. "O uso adequado de máscara, distanciamento físico, higienização correta de mãos. Mas, sem dúvida, o motivo principal é a vacinação". 

Leia Também

Andreia falou também que hoje Campinas está hoje com mais de 80% da população adulta vacinada com 1ª e 2ª dose. "E a gente vê nos gráficos que o aumento da vacinação corresponde a diminuição do número de casos leves e graves", disse. 

NAS RUAS

Para a moradora Mara Ester, a notícia da taxa de transmissão estar baixa é positiva, mas isso não significa que a população pode relaxar. "A maioria acredito que respeita, mas tem gente que não. Muita gente anda sem máscara e o pessoal fazendo festa sem máscara. A taxa abaixou por conta da vacinação, álcool em gel e máscara. E temos que continuar", disse. 

O morador José Barbosa afirmou que acredita que a vacinação realmente mudou a situação da pandemia na cidade. "Eu já tomei a 1ª dose, eu não queria tomar, mas apareceu muita gente próxima com a doença, amigos novos que foram intubados. Agora, não vemos mais muitos casos", disse. 

OS DADOS

- Abril de 2020: 1
- Maio de 2020: 1.8
- Junho de 2020: 1.4
- Julho de 2020: 2.4
- Agosto de 2020: 2.0
- Setembro de 2020: 1
- Outubro de 2020: 1
- Novembro de 2020: 0.7
- Dezembro de 2020: 1 

- Janeiro de 2021: 1
- Fevereiro de 2021: 1.09
- Março de 2021: 1.16
- Abril de 2021: 0.98
- Maio de 2021: 1.07
- Junho de 2021: 1.01
- Julho de 2021: 0.9
- Agosto de 2021: 0.8
- Setembro de 2021: 0,7

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários