Volta às aulas na rede municipal de Campinas (Foto: Eduardo Lopes/PMC)
Volta às aulas na rede municipal de Campinas (Foto: Eduardo Lopes/PMC)

A secretaria de Educação de Campinas confirmou que o retorno às aulas presenciais será obrigatório a partir do dia 3 de novembro na rede municipal.

A medida foi confirmada nesta quinta-feira (14), um dia após o anúncio da retomada em todo o estado de São Paulo, e abrange 67,2 mil alunos da cidade.

O retorno obrigatório de 100% dos estudantes foi definido pelo governo paulista com base na melhora dos dados da transmissão e da imunização contra a covid.

De acordo com a Prefeitura de Campinas, a decisão segue justamente a orientação estadual e acaba com o rodízio de estudantes nas salas municipais.

Ainda conforme o comunicado, até o próximo dia 3, data do retorno, as 208 unidades da rede continuam com o atendimento em formato híbrido.

Atualmente, mesmo com a retomada das atividades, a presença era facultativa. Em Campinas, as aulas foram retomadas presencialmente em abril.

Quatro meses depois, o secretário municipal de Educação afirmou ao ACidade ON que a adesão dos alunos das escolas municipais variava entre 20% a 25%.

O decreto detalhado deve ser publicado no Diário Oficial nos próximos dias.

PROTOCOLOS

A secretaria municipal de Educação também afirmou que está discutindo com o Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) a forma de fazer o retorno da maneira mais segura.

O Estado, porém, determinou o fim do distanciamento mínimo de 1 metro entre os estudantes a partir do dia 3 de novembro.

"A regra é: criança na escola todos os dias e não alguns dias. A sociedade já voltou, as pessoas estão tendo convivência mais aberta e é preciso priorizar a educação, senão não vamos recuperar a aprendizagem", disse o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, ao jornal O Estado de São Paulo.

O uso de máscara por parte de estudantes e funcionários permanece obrigatório para todos, assim como a utilização de álcool em gel nas escolas e equipamentos de proteção individual por parte de professores e demais funcionários.

Estudantes sintomáticos não devem ir à escola e casos suspeitos ou confirmados devem ser avisados.

Leia Também



EXCEÇÕES

Apenas crianças e adolescentes com restrições médicas poderão ter aula on-line. Neste grupo, estão inclusos estudantes gestantes e puérperas e jovens com doenças prévias (comorbidades) a partir de 12 anos que não tenham completado o ciclo vacinal, além de menores de 12 anos com fatores de risco.

AS OUTRAS REDES

A retomada presencial obrigatória passa a valer já na próxima segunda-feira (18) para a rede estadual. Já a rede privada deve definir um prazo para a adequação às novas determinações após deliberações do CEE (Conselho Estadual da Educação).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários