Placa Mercosul: Campinas registra aumento de 29,3% em emplacamentos
Reprodução: ACidade ON
Placa Mercosul: Campinas registra aumento de 29,3% em emplacamentos


Leia Também

A cidade de Campinas registrou aumento de 29,37% em emplacamentos de veículos entre fevereiro e agosto deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado com a nova placa Mercosul. Segundo os dados do Detran (Departamento Estadual de Trânsito) de São Paulo, foram 13,9 mil emplacamentos neste ano. Já no ano anterior, foram 10,7 mil.

Esses emplacamentos foram feitos com a nova placa Mercosul, criada há três anos para dificultar fraudes. O novo formato - que retirou o nome das cidades - estreou no Rio de Janeiro em setembro de 2018.

No estado de São Paulo, a placa Mercosul é obrigatória desde 31 de janeiro de 2020. Isso em caso de mudança de município ou estado, mudança de categoria, registro de veículos 0 km e para quem precisa substituir placas em decorrência de furto, extravio, roubo ou dano.

Motoristas podem também aderir as placas Mercosul de maneira voluntária.


O preço das placas é determinado pelas empresas credenciadas no sistema de livre concorrência, conforme a resolução 780/2019 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), que é válida para todos os estados.

Na internet, o par de placas Mercosul para carros pode ser encontrada por valores entre R$ 155 e R$ 200. Já os valores para motos variam entre R$ 55 e R$ 100.

Leia Também

Número de placas Mercosul aumentou em toda a cidade (Foto: Luciano Claudino/Código 19)

NAS RUAS

No Centro de Campinas, quem teve que aderir ao novo emplacamento se mostrou bem adaptado. Fernanda Soares comprou um carro em 2020, mas disse que faria questão de instalar a placa mesmo que não fosse obrigada.

"Eu gosto e acho que é vantagem não localizar de onde sou. Eu não reclamo de não saber a cidade de onde as pessoas são. Eu vejo como uma questão de segurança", diz.

Paulo Vaccari teve que trocar as placas ao licenciar o carro novo no início do ano. Apesar de não lembrar exatamente o valor, ele reclama do preço que pagou, mas brinca com situação.

"Eu fui passar o carro pro meu nome e precisei colocar a placa nova. Eu não lembro o valor, mas foi 'salgado'. Sobre não mostrar a cidade, eu brinco com meus amigos que vou poder ir à paisana nos jogos da Ponte", afirma.

Entre os que circulam com as placas antigas, como Antônio Carlos Lopes, há quem prefira economizar e não veja vantagens na placa Mercosul. "É caro e eu não vejo porque trocar. Não procuro estilo. Quero resolver minha vida. Enquanto meu carro é esse, vou rodar com essa placa", finaliza.

OS DADOS

Fevereiro a agosto de 2020: 10.749

Fevereiro a agosto de 2021: 13.906

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários