Peritos do INSS fazem paralisação pelo segundo dia em Campinas.
Wilson Dias/Agência Brasil
Peritos do INSS fazem paralisação pelo segundo dia em Campinas.


Médicos peritos do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) continuam com a paralisação nacional nesta quarta-feira (9). Em Campinas, os profissionais aderiram a paralisação desde ontem, e perícias médicas não estão sendo realizadas.

Na manhã desta quarta-feira, a agência do órgão na Avenida Barreto Leme, no Centro, chegou a registrar fila de pessoas que estavam agendadas. Os segurados, no entanto não conseguiram fazer o procedimento e tiveram a marcação reagendada.

Moradores afirmaram que chegaram no local e foram informados que os atendimentos estavam cancelados porque não haviam médicos. Uma das pessoas teve a marcação reagendada apenas para o dia 20 de março, e outra relatou que teve a terceira viagem perdida.

"A gente chegou aqui e o guarda falou que não tem perícia, viagem totalmente perdida, e eu estou sem trabalho, sem receber", desabafou a auxiliar de serviços gerais Severina Borges.

Outra moradora contou que tem uma família de cinco pessoas para sustentar depende da perícia do INSS para voltar a receber. "Somente eu trabalho e tenho que depender daqui. É um caos, uma vergonha", completou.

A perícia médica é necessária para receber benefícios como o BPC (Benefício de Prestação Continuada) auxílio-doença, aposentadorias por incapacidade permanente, entre outros.

Segundo uma portaria do INSS publicada em setembro do ano passado, quem tiver a perícia cancelada pela paralisação dos servidores deverá ter o atendimento remarcado até as 12h do dia seguinte ao cancelamento.

REINVIDICAÇÕES

Em ofício, os médicos peritos exigiram ao ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, uma recomposição salarial de 19,99%. O valor é relativo às perdas com inflação entre 2019 e 2022, a fixação do número máximo de 12 atendimentos presenciais como meta diária e a realização imediata de concurso público.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários