Anúncio do início do programa Recomeça em Campinas (Foto: Reprodução/Facebook)
Anúncio do início do programa Recomeça em Campinas (Foto: Reprodução/Facebook)

Os empreendedores de Campinas que participarem do Programa Recomeça, que libera créditos para a recuperação de micro e pequenos empresas afetadas pela pandemia, devem receber os valores cerca de 20 dias depois de darem entrada no processo. 

A estimativa de prazo foi informada durante a transmissão on-line feita pelo prefeito da cidade, Dário Saadi (Republicanos). Na live, foram anunciados oficialmente o site da iniciativa e as cinco primeiras instituições financeiras credenciadas (veja mais abaixo). 

O site do Recomeça já está no ar e o cadastro dos microempreendedores começa na segunda (21). Cada inscrito pode receber de R$ 5 mil a R$ 50 mil. Ao todo, serão investidos R$ 130 milhões. A Prefeitura participa como fiadora dos empréstimos. 

"O site está disponível para as pessoas lerem todas as orientações. A partir de segunda, quem quer receber o recurso vai diretamente a uma das entidades", explica a secretária de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação, Adriana Flosi. 

COOPERAÇÃO TÉCNICA

Leia Também

Nesta sexta (18), além de anunciar o início do programa, a Prefeitura também assinou o termo de cooperação técnica com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) , que vai capacitar os emprendedores que tomarem empréstimos. 

A entidade será acionada pela instituição financeira e vai servir como orientadora do participante do Recomeça. A ideia é que o Sebrae acompanhe o empresário e faça um plano de negócio. O dinheiro poderá ser usado para investimentos ou capital de giro. 

Leia Também

PASSO A PASSO 

Para receber o crédito, o empresário deve procurar uma das cinco cooperativas anunciadas pela Prefeitura. São elas: ACCredito, Sicoob 4434, Sicoob Crediguaçu, Sicoob CrediMogiana e Sicoob Paulista. Depos disso, o Sebrae será consultado. 

Passado o aval do serviço especializado, o processo voltará à financeira, que irá aprovar o aporte. Na quarta etapa, o pedido será levado à AGCP (Associação Garantidora de Crédito Paulista), que também deve aprovar o valor antes da liberação. 

A partir do recebimento dos recursos, o micro e pequeno empreendedor receberá o acompanhamento do Sebrae, que vai monitorar e auxiliar a execução do plano traçado. 

Ainda de acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico, Adriana Flosi, os MEIs (microempreendedores individuais) vão poder emprestar até R$ 30 mil. Já a empresa que fatura até R$ 4,8 milhões poderá acessar créditos de até R$ 50 mil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários