Secretário Aurílio Caiado explica Recomeça.
Prefeitura de Campinas
Secretário Aurílio Caiado explica Recomeça.


Leia Também

A taxa de juros que será aplicada nos empréstimos concedidos a micro e pequenos empresários e microempreendedores individuais (MEIs) dentro do programa Recomeça, da Prefeitura de Campinas, será de 1,18% a 2%.

Poderão ser feitos empréstimos nos valores de R$ 5 mil a R$ 50 mil para micro e pequenas empresas e até R$ 30 mil para MEIs. Os empresários também terão até 36 meses para pagar a dívida e carência de seis meses para iniciar os pagamentos.

A normatização da taxa foi publicada hoje (25) no Diário Oficial de Campinas, e vai variar de acordo com o prazo do financiamento - veja passo-passo abaixo.

O PROGRAMA

O Recomeça pretende injetar R$ 130 milhões na economia do município, como forma de ajudar os comércios que foram prejudicados na pandemia. A inciativa faz parte do Paes (Programa de Ativação Econômica e Social), lançado em julho do ano passado.

A Prefeitura informou que as taxas de juros para empréstimos no programa são menores do que as praticadas no mercado.

NO MERCADO

No mercado financeiro, hoje, a média da taxa mensal do crédito rotativo para pessoas físicas é de 13,3%; do crédito parcelado, 7,91%, e para o cheque especial, 6,88%. As informações são da Prefeitura de Campinas.

No Recomeça, as taxas serão de 1,18% para empréstimos em 6 parcelas; 1,33% para os de 7 a 12 parcelas; 1,71% nos casos de parcelamento de 13 a 18 meses; 1,86% nos financiamentos de 19 a 24 parcelas e 2% para os de 36 meses.

AJUDA DO SEBRAE

Segundo o secretário de Finanças, Aurílio Caiado , um convênio com Sebrae vai auxiliar os empresários no planejamento de como o recurso deve ser utilizado. "O empresário sabe quais são suas necessidades, mas o Sebrae vai auxiliá-los para que o dinheiro seja investido da melhor maneira possível", completou.

Para a secretária de Desenvolvimento Econômico, Adriana Flosi, os pequenos negócios foram os que mais sofreram durante a pandemia e essa ajuda do poder público será fundamental. "Esse crédito vai ajudar muito as empresas que conseguiram sobreviver à pandemia a retomar as atividades, gerando mais empregos e impulsionando a economia da cidade", disse.

QUEM GARANTE O CRÉDITO?

A Sociedade Garantidora de Créditos foi escolhida por meio de chamamento público. O contrato com a Associação Garantidora de Crédito Paulista foi homologado em 8 de fevereiro e essa será a instituição responsável pelo aval dos empréstimos.

As instituições financeiras credenciadas até o momento são a ACCredito, Sicoob 4434, Sicoob Crediguaçu, Sicoob Credimogiana e Sicoob Paulista. Ao ter o crédito aprovado pela instituição financeira, o empreendedor será encaminhado ao Sebrae para passar por capacitação, que será pré-requisito para a conclusão do empréstimo.



O programa Recomeça terá validade até dezembro de 2024. As instituições financeiras que quiserem se credenciar para integrar o programa podem enviar documentação para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico até o final do programa.

CONFIRA O PASSO A PASSO

1- Procurar uma das instituições financeiras credenciadas, que analisa a solicitação de crédito;

2- Fazer a capacitação e o plano de negócios junto ao Sebrae;

3- Com documentação aprovada e capacitação no Sebrae concluída, o empreendedor está apto a receber o crédito;

4- A Associação Garantidora de Crédito Paulista aprova a garantia;

5- O recurso é liberado ao empreendedor;

6- O Sebrae acompanha e oferece orientações ao empreendedor sobre uso consciente do recurso.


Mais detalhes sobre o programa Recomeça estão disponíveis no site.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários