Pais não conseguiram deixar filhos por causa de paralisação (Foto: Wagner Souza)
Pais não conseguiram deixar filhos por causa de paralisação (Foto: Wagner Souza)

A secretaria de Educação de Campinas informou na tarde desta quinta-feira (3) que prevê para amanhã (4) a abertura das escolas municipais que ficaram fechadas ou funcionaram parcialmente hoje. 

Esse fechamento ocorreu por conta de um novo protesto de funcionários de uma empresa terceirizada de limpeza por falta de pagamento.
Segundo a pasta, a Especialy disse que realizou os depósitos do vale-transporte dos funcionários na tarde desta quinta. 

Com isso, a expectativa do município é que todas as 31 instituições de ensino afetadas estejam abertas e aptas para receber alunos desde o início da manhã de sexta-feira. 

Do total de locais afetados, conforme a Educação, 19 não tiveram aulas e outros 12 foram parcialmente afetados por conta da paralisação feita pela categoria. Ao todo, 9.430 alunos ficaram sem atendimento. 

O Siemaco (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana) confirmou hoje que o pagamento foi feito. 

ATRASO

Leia Também

O sindicato que representa a categoria informou ainda que os funcionários deveriam ter recebido o benefício até o último dia 25, mas a empresa Especialy, que presta serviço de limpeza nas escolas municipais, adiou o pagamento pra esta segunda. 

Após a data, porém, o adiamento aconteceu novamente nesta terça e o depósito só foi feito hoje, após essa nova paralisação. 

Leia Também

MEDIDA DA PREFEITURA 

Em nota encaminhada durante a manhã, a Prefeitura DISSE que deu um 'ultimato' à empresa responsável, e disse que o processo para estabelecer uma multa está em curso. 

A Administração afirmou também que fez hoje uma reunião com os representantes da Educação e da empresa. 

MAIS UMA VEZ 

Esta é a segunda vez que uma paralisação na Educação acontece em menos de um mês. Em fevereiro, devido à falta de pagamento dos salários, o ato dos trabalhadores culminou em 125 escolas e creches afetadas ou de portas fechadas. 

Na ocasião, obrigações trabalhistas também não estariam sendo cumpridas. Entre elas, a falta de pagamento do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e de outros benefícios. 

O contrato com a empresa foi firmado em outubro de 2021 e a empresa tem cerca de 700 funcionários. O repasse mensal da prefeitura é de mais de R$ 2 milhões.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários