Polícia investiga envolvidos em caso de abuso sexual de líder espiritual
Reprodução: ACidade ON
Polícia investiga envolvidos em caso de abuso sexual de líder espiritual


A Polícia Civil de Campinas investiga quem pode estar envolvido na acusação de abuso sexual supostamente cometida por um líder espiritual, preso ontem (10).  André Corrêa Lanzoni é acusado de abuso sexual durante terapias holísticas e continua recebendo acusações de vítimas.

De acordo com a Polícia Civil, mais quatro mulheres denunciaram o "guru" por abusos nesta sexta (11) (leia mais abaixo).

Segundo o delegado responsável pelo caso, José Roberto Rocha Soares, Lanzoni é o alvo principal, mas os envolvidos serão ouvidos e investigados.

A mulher de dele será ouvida, pois também trabalhava na clínica no distrito de Sousas.
Ambos faturavam, juntos, R$ 70 mil por mês em terapias e cursos.

"Ele é o alvo principal, mas nós vamos ver quem participou, colaborou, quem fazia parte. Porque ele criou nessa clínica um cenário e ali ele alienava as pessoas com punições espirituais, velas acesas, imagens de deuses, tudo fazendo parte desse mise-en-scène", disse.

Para o delegado, Lanzoni é "pior que João de Deus". As vítimas, inclusive, chamavam o homem de "pai espiritual". Hoje, o MP (Ministério Público) abriu um canal de denúncias para as vítimas.

DEFESA

O advogado de André Corrêa Lanzoni informou que não teve acesso aos conteúdos de todos os inquéritos e deve se manifestar na próxima semana, depois de ler e analisar as denúncias.

REVELADO

O caso foi revelado ontem com a prisão,
mas o líder espiritual teria abusado sexualmente de clientes, tanto homens como mulheres, ao longo dos últimos dez anos.

Há dois meses, no entanto, Lanzoni começou a ser investigado pela Polícia Civil após cinco vítimas registrarem boletim de ocorrência.

Hoje, uma vítima disse à EPTV Campinas que ele induzia traumas pessoais para justificar os abusos sexuais contra os pacientes.

De acordo com a Polícia Civil, além das quatro novas denúncias feitas por mulheres, mais pessoas são esperadas semana que vem. O investigado está atualmente preso em unidade prisional de Sorocaba.

"O primeiro encontro que eu tive aqui, faz uns 10 dias, vieram nove moças, sendo que cinco formalizaram (a ocorrência). Então temos essas quatro e ainda mais essas que vieram agora que eu não conhecia, então acho que vai atingir uns 20 inquéritos contra ele", disse o delegado responsável pelo caso.

MP

Ainda na tarde desta sexta, o MP (Ministério Público) abriu um canal para receber mais denúncias de vítimas.

Relatos ou quaisquer outras informações podem ser enviados ao e-mail [email protected] Os processos correm em segredo de Justiça, e as vítimas não terão a identidade divulgada, segundo o órgão.

"O MP tem nos ajudado, rapidamente ofereceu denúncia e também concordou com o pedido de prisão preventiva que eu pedi para o juiz. Então, foram decretadas quatro prisões preventivas contra ele", disse o delegado. 

Leia Também

Leia Também



TRAUMA INDUZIDO


Uma das vítimas conta que frequentava a clínica em 2013 e foi convencida por André Corrêa Lanzoni a fazer uma sessão com ele. Durante a terapia, ela conta que sofreu abuso sexual.

"Ele ficou um tempo induzindo que eu teria problemas relacionados à sexualidade. E me propôs um desbloqueio de trauma que ele disse que eu tinha. Me pediu para deitar na maca e relaxar que ele ia fazer esse desbloqueio", disse.

O relato segue até o momento do abuso físico. "Quando eu percebi ele tava me tocando. Ele abriu a calça, porque disse que através da roupa não seria possível fazer o desbloqueio. E aí, ele falava ao mesmo tempo que era para eu não deixar as falas da sociedade, que isso estava errado, e que era pra eu me entregar ao prazer. E aí eu percebi que ele se masturbava enquanto ele me tocava, mas aí eu levantei, fui embora e nunca mais voltei", disse.

A vítima disse ainda que contou para o marido o caso na época, e que ele chegou a querer agredir Lanzoni, assim como denunciá-lo. "Só que na época eu estava muito fragilizada, eu achei que falar sozinha não ia adiantar e fiquei calada com essa história".



SEDUTOR E PERSUASIVO

A mulher ainda relatou um pouco da personalidade de Lanzoni:

"Ele é extremamente persuasivo, extremamente sedutor, super falante, super comunicativo, ele conseguia literalmente o que ele queria, sabe. Ele diminuía as pessoas, ele fazia pessoas ficarem muito mal, achar mesmo que precisava dele. E a mulher dele também, fazia a mesma coisa, eram os dois, pra que ficassem dependentes do espaço e da terapia dele. Então, era como se as pessoas não estivessem lá e não fizessem terapia com ele não iam se dar bem na vida", disse.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários